Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento.Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

ALECRIM DE CAMPINAS

Holocalyx glaziovii

Essa planta natural do sul do Brasil, possuí glicosídeo é bastante tóxica em suas folhas e frutos, por isso não se recomenda o uso.

Descrição : Planta da família das Fabaceae, também conhecida como pau-alecrim.

É uma herbácea de crescimento lento, que atinge um porte de 10 a 25 metros de altura.

Suas folhas compostas, paripinadas, folíolos verde-escuro e brilhantes, oblongos, estreitos, irregulares na base e muito nervados.

O seu fruto drupa globosa, com uma ou duas sementes grandes.

Sua floração decorre entre agosto a outubro.

A frutificação é do tipo vagem e decorre de outubro a dezembro.

Origem : Brasil.

Indicações: É uma planta tóxica , por isso não recomendamos o uso.

Partes tóxicas da planta: folhas e frutos.

Habitat : O lugar natural do alecrim de Campinas são as matas e são muito encontradas nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Goiás e Rio Grande do Sul.

Toxicologia : Possui glicosídeo é bastante tóxica em suas folhas e frutos. Quando acontece a intoxicação um tipo de ácido inibe a enzima citicromo oxidase e assim as células são impedidas de receber oxigênio vindo das hemácias. Provoca edema subcutâneo, lacrimejamento, hemorragias no fundo do olho, conjuntivite purulenta, pupilas dilatadas, mucosas ictéricas e emagrecimento.

Alecrim de Campinas


Dieta  de 21 dias

Bibliografia:

_Revista Árvore - Edição de julho a setembro de 2000. - Volume 24 - Número 3. - ISSN 0100 - 6762.

_Revista Árvore - Edição de março e abril de 2002. Volume 26 - Número 2 - ISSN 0100 - 6762.

_Pesquisas: Botânica, Edições 54-56 - Instituto Anchietano de Pesquisas, 2004.

VASCONCELOS, Paulo Mário Bacariça., Guia Prático para o Fazendeiro, Nobel Editora, 1977.