Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

BRIÔNIA

Bryonia dioica

Essa trepadeira tem um cheiro ruim, mais é um purgante muito forte, também é utilizada na produção de fécula.

Descrição : Família das Cucurbitáceas. É planta trepadeira de raiz tuberosa, muito grande, caules híspidos, angulosos, finos ásperos e com gavinhas espiraladas muito compridas; folhas pecioladas, cordiformes, alternas, palmadas ou subpalmati-fendidas, com 5 lóbulos de segmentos triantulares ou oblongos, aguçados e sinuados, revestidos de pelos ásperos nas duas páginas; flores verde amareladas, todas dispostas em pequenos racimos axilares, fruto baga globosa, vermelha, pequena, contendo 4 a 6 sementes envoltas em polpa mucilaginosa.

Sua raiz tem péssimo cheiro, mas constitui um purgativo de alto valor e em alguns casos é diurética e vomitiva, sendo também empregada para a cura da hidropisia, do reumatismo, da asma úmida, da coqueluche, assim como de outras afecções, porém seu emprego deve ser muito limitado porque seu uso é muito perigoso.

Essa planta contém 20% de fécula que, depois de fermentada, pode substituir a batata-inglesa, pois encerra, entre outras substâncias, a "bryoicina que é uma matéria cristalina azotada e também a "bryonina", glicosido formado por dois princípios amargos, porém não azotados. A briônia irrita a pele.

Origem : É originária da Europa onde tem grande cultura pelos seus dotes medicinais. Na França é conhecida como Navet du Diable e Vigne Blanche e em Portugal, onde a cultivam também chamam-se norça-branca.

Parte utilizada: Raiz.

Princípios Ativos: Glicosídeos (brionina), tanino, fitosterinas e resinas (briosterinas).

Propriedades medicinais: antirreumática, laxante, diurética, vermífuga.

Indicações: Usada na homeopatia para: tosse, resfriado, gripe, pneumonia, branco pneumonia, hemoptise, dispepsia com acidez, dor de estômago, congestão hepática, diabete, apendicite, pericardite, peritonite, meningite, dor de cabeça, dor lombar, glaucoma, sarampo, inflamação dos seios, febre puerperal, diarreia, crupe, vermes, reumatismo.

Contraindicações/cuidados: Toda a planta é venenosa, por isso deve ser empregada com a máxima prudência. Usar somente sob prescrição médica. As raízes e bagas contêm brionicina, que causa diarreia e enrijecimento tetânico; vinte bagas é uma dose mortal.

Modo de usar:

- Cataplasma : aplicar 30 gramas da raiz fresca e esmagada em uma gaze. Não se fazer uso constante e prolongado desta cataplasma , pois pode provocar graves irritações na pele;

- Vinho: macerar 60 gramas da raiz cortada em pedaços pequenos em um litro de vinho de boa qualidade. Deixar 24 horas, filtrar o vinho e colocá-lo em uma garrafa, tomando uma colher antes das refeições principais: diurético, reumatismo;

- Infusão de 3 gramas do pó da raiz seca em meio litro de água fervente. Deixar esfriar e filtrar com um tecido e beber em duas vezes: prisão de ventre, vermes;

- Unguento : cozinhar, em pouca água, 20 gramas da raiz esmagadas. Misturar com vaselina. Aplicar sobre a região afetada: reumatismo.

Brionia

Dieta  de 21 dias