Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

CANA COMUM

Arundo donax

Considerada uma planta invasora, a cana do reino ou cana comum, pode ser um bom aliado no combate problemas de pulmão.

Descrição : Planta da família das Poaceae, também conhecida como taquara-do-reino, cana-do-reino; canne.

Planta perene considerada uma espécie invasora, que atinge por volta dos 4 m a 6 m, raramente passando dos 10 m, com ramos ocos de 2 a 3 cm de diâmetro.

As folhas variam entre os 30 a 60 cm de comprimento e entre 2 a 6 cm de largura, de tonalidade verde-acizentado, cujas bases apresentam tufos.

Parte utilizada: Raiz, garapa.

Origem : Nativa das águas frescas do Mediterrâneo.

Plantio : reproduz-se por meio de rizomas subterrâneos. Os rizomas são rijos e fibrosos, aparentando nós, a dispersando-se pelo solo a até 1m de profundidade, compondo uma rígida base.

Propriedades medicinais: Diurética (leve ação), sudorífica, lactífugo, reconstituinte enérgico.

Indicações: Afecções catarrais, aftas, bronquites, chagas, cólicas renais, digestão difícil, ferida, icterícia, tonificar o músculo cardíaco, tosses.

Contraindicações/cuidados: Os preparados de cana comum não devem ser administrados às mulheres que amamentem em razão de suas propriedades galatofugas.

Modo de usar:

- Infusão de 40 g de raiz cortadas em fatias em um litro de água fervente. Deixar esfriar, filtrar e adoçar o líquido, bebendo quatro xícaras por dia: depurativa, diurético. A infusão, adoçada com mel e ingerida quente: gripe.


Cana Comum

Curiosidade :

A cana-do-reino foi introduzida na Califórnia na década de 1820 a fim de fornecer matéria-prima para telhados e controle de erosão por meio da drenagem de canais na área de Los Angeles. Tornou-se popular como planta ornamental e passou a ser cultivada também para a produção de palhetas musicais. A omissão em seu controle e o clima costeiro quente do oeste estadunidense, a tornaram uma espécie invasora de rápida proliferação, ampliando sua área ainda nos dias de hoje. Também passou a ser cultivada na América do Sul e Australásia.

Bibliografia :

Dana ED, Sanz-Elorza M, Vivas S, Sobrino E (2005) Especies vegetales invasoras en Andalucía. Consejería de Medio Ambiente, Junta de Andalucía, Sevilla, 233pp.

Dudley T (2000) Arundo donax. In: Bossard CC, Randall JM, Hoshovsky MC Invasive Plants of California’s Wildlands. University of California Press, Berkeley, CA, pp. 53-58.

Marchante E, Freitas H, Marchante H (2008) Guia prático para a identificação de plantas invasoras de Portugal Continental. Imprensa da Universidade de Coimbra, Coimbra, 183pp.

Silva L, Corvelo R, Moura M, Land EO, Fernandes FM (2008) Arundo donax L. In: Silva L, Land EO, Luengo JLR (eds) Flora e fauna terrestre invasora na Macaronésia. Top 100 nos Açores, Madeira e Canárias. Arena, Ponta Delgada, pp. 213-216.

Ocorrência e caracterização da espécie invasora Arundo donax L. (CANA-DO-REINO) no Distrito Federal, Brasil - Simões, Kenya Carla Cardoso.



Dieta  de 21 dias