Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

Propriedades Medicinais da Cânfora

Cinnamomum camphora

Descrição : Planta da família das laureacea, também conhecida como erva cavaleira e rabugem de cachorro. A canforeira é extremamente decorativa, indicada para ornamentação de vias publicas e também para quebra-ventos

Habitat: Ásia Oriental, particularmente da ilha de Formosa, Japão e China Meridional.

História: Depois de ocupar a ilha de Formosa (Taiwan), o Japão organizou o próprio monopólio da produção e comercio da Cânfora natural e sua essência, que perdurou ate a perda do seu domínio em 1944.

Para combater este monopólio, foram feitas plantações de canforeiro em outros países (Java, Estados Malaios, Austrália, Florida, Brasil, Argélia, etc.), porem a organização japonesa inutilizou estas tentativas;

Após a II Grande Guerra, com o desenvolvimento da indústria da síntese química da Cânfora, em particular nos EU A, finalmente caiu o monopólio japonês; Vinagre dos quatro ladrões de Marselha: por volta de 1300, enquanto se alastrava uma epidemia de peste negra, quatro bandidos marselheses executavam assaltos nos locais infestados pela peste, saqueando casas e o comercio.

Era mistério o fato de passarem incólumes pelos locais infestados, o segredo era uma mistura com a qual enxaguavam a boca e limpavam as mãos. A sua receita chegou até os dias de hoje.

Parte utilizada : Óleo essencial.

Princípios ativos : Compostos da série aromática: p-cimeno, eugenol, safrol; Aldeidos; Ácidos graxos; Terpenos: alfa-pineno, nopineno, canfeno, dipenteno, cariofileno, cadineno, bisaboleno, canfazuleno; Álcoois: borneol, linalol, alfa-terpinol; Cetonas: Cânfora, piperitona; Óxidos: cineol

Propriedades medicinais:

Usos etnofarmacologicos: anti-septica, estimulante, excitante, antirreumática, parasiticida, antinevrálgica, revulsiva, anestésico local, antitérmica, antidiarreica,anti-helmintica, moderadora das secreções sudoral e láctea.

Indicações: enjoos, gases, contusões, dores musculares, reumatismo, frieiras. Como sedativo, nas doenças nervosas, hipocondria, histerismo, convulsões, epilepsia, melancolia, nevralgias, reumatismo

Aromaterapia : Estimulante dos nervos.

Contraindicações/cuidados: Pode causar irritação da pele no uso tópico, e intoxicação pela absorção e inalação dos vapores; Eczema e dermatite de contato podem surgir após o uso de óleo contendo Cânfora.

Precauções e Efeitos colaterais: Muito comum em crianças, leva a intoxicação.

O estado de intoxicação mostra espasmos, delírio, e perturbações do controle respiratório.

O tratamento e sintomático; Uma dose de menos de 1g pode ser considerada letal para crianças muito novas; A DL50 para adultos 6 de 20g. Mas a intoxicação em adultos pode surgir a partir de 2g.

Posologia:

Vinagre aromático para fricções e massagens: macerar 10 dias, 400g de vinagre de maçã, 50g de álcool a 90°, 50g de ervas frescas: sumidades floridas de alfazema, folhas de laranjeira, folhas de alecrim, folhas de hortelã, folhas de sálvia; Após os dez dias dissolver 4g de Cânfora em 10g de ácido acético, juntando aos outros ingredientes. Filtrar o liquido.

Para dores causadas por traumas ou reumáticas; Aguardente canforada: misturar 300g de aguardente a 60° e 5g de Cânfora triturada.

Conservar o líquido em uma garrafa bem tapada e empregá-lo para friccionar os músculos doloridos; Loção: 200g de óleo de rícino desodorizado, em banho maria. Juntar 10gr de essência de bergamota e 5 gr de Cânfora Deixar em banho maria por 1 hora.

Massagens três a quatro vezes ao dia a região atingida pela f rieira; Plantas que sofreram ação do vento ou ausência de água, rapidamente recuperam força e vigor se forem regadas com água canforada: 1 colher de café para cada litro; Espalhar alguns cubinhos pelos armários, estantes e gavetas, as roupas e livros estarão protegidos contra traças;

Vinagre dos 4 ladrões - desinfetante: 20g de sumidades floridas de alguma destas plantas: losna, alecrim, sálvia, hortelã, arruda ou flores de alfazema,30g de cada: canela, noz-moscada, cravo e alho. 5g de Cânfora e 1250g de vinagre de vinho branco ou maga ou arroz; Macerar por dez dias, filtrar o liquido. Serve para limpar as feridas e desinfetar as mãos que tenham tocado qualquer coisa infectada.

Farmacologia: Utilizada na terapêutica, a Cânfora vem sendo substituída por outras substâncias, algumas de constituição química análoga; Da madeira triturada dos troncos e submetida a manufaturações oportunas, extrai-se o produto conhecido pelo nome de Cânfora, com qualidades antissépticas, estimulantes e excitantes.

Externamente e utilizado por suas propriedades revulsivas, que se associam a sua ação anestésica local. Possui propriedades parasitiadas. Atua sobre o sistema nervoso cereal produz ação benéfica sobre o centro respiratório com o aumento da amplitude dos movimentos respiratórios e acelerar o ritmo; é um cardiocinético, pois estimula o músculos cardíaco e reforça a sistole.

Regulariza as pulsações e a pressão sanguínea; O óleo canforado, embora seja um cardiotônico eficiente, deve ser administrado com acompanhamento medico; A Cânfora e usada também na produção de celuloide, matéria prima no fábrico de produtos, plásticos, tintas.

Cânfora