Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

CARDO MARIANO

Silybum marianum

Descrição : Planta da família das Asteraceae, também conhecida como cardo-de-santa-maria, cardo-branco, cardo-de-nossa-senhora, cardo-leiteiro, cardo-mariano, cardo-santo, serralha-de-folhas-pintadas. Com folhas verdes escuras, grandes e espinhosas, o cardo-mariano e uma planta anual ou bienal, que cresce entre 1,5 e 3 m de altura. Quando quebradas, as folhas e os caules exsudam uma seiva leitosa. As flores vermelho purpura possuem bordas com espinhas afiadas. As frutas são brilhantes, pintadas, pretas ou cinzenta que são frequentemente referidas como sementes. Estas frutas compõe a parte do cardo-mariano, que junto com seus pelos prateados, caem prontamente.

Parte utilizada: Folhas, flores, raízes, frutos.

Habitat: Nativo da Europa e da Ásia mas foi naturalizado nas Américas do Norte e do Sul.

História: O cardo-mariano tem sido usado medicinalmente desde o século 4 a.C. Seu uso no tratamento de doenças hepatobiliares data do século 18, e seu uso como um hepatoprotetor e mencionado em referências históricas da Grécia antiga; Plínio, o velho (23 a 79 d.C.), anotou que o suco da planta era excelente para "expelir a bile." Nicholas Culpepper, herbalista do século 17, observou que o cardo-mariano era útil contra a ictericia e para remover obstruções do fígado e do bago; O sistema médico eclético (séculos 19 ao 20) usava o cardo-mariano para as varizes, a dificuldade menstrual, e congestão no fígado, no bago e nos rins; Na homeopatia, a tintura das sementes tem sido usada para tratar desordens do fígado, ictericia, cálculos biliares, peritonite, hemorragia, bronquite e varizes. As sementes torradas também eram usadas como um substituto para o café.

Princípios Ativos: Açúcares, silimarina (silibina, silicristina, silidianina), flavonoides (taxifolina, quercetina, kaempferol, apigenina, naringina), histamina, óleo essencial, óleos fixos (ácido linoleico, ácido oleico, ácido palmítico, esteróis), mucilagem, proteínas, saponinas, saponinas.

Propriedades medicinais: Antisséptico, aperiente, anticolesterolêmica, anti-inflamatória, antioxidante, colagoga, colerética, depurativa, digestiva, diurética, estomacal, hepatoprotetora, hipertensora, má digestão, regeneradora, tônico amargo.

Indicações

As sementes de cardo mariano eram tomadas pelas lactantes para melhorar a produção de leite, uso que continua a ser apropriado. Tem fama de ser um remédio para estados depressivos.

Distúrbios hepáticos : O cardo mariano, de preferência em extrato padronizado, ajuda a manter o fígado saudável. Pode tomar-se sempre que o fígado esteja sob tensão, o que geralmente é visível pelo número elevado de enzimas hepáticas. As sementes contêm silimarina, uma substância que protege o fígado de intoxicações, tendo mesmo a capacidade de impedir a intoxicação após a ingestão de cogumelos venenosos, intoxicação pela ingestão de água poluída. Os problemas de saúde propensos a reagirem bem ao cardo mariano incluem colesterol elevado, hepatite virai aguda e crônica, doença hepática crônica e cirrose causada pelo álcool. Tome-o unicamente por conselho de um profissional em caso de doença hepática ou para proteger o figado durante a quimioterapia. Aparentemente, o seu uso prolongado parece ser seguro.

Contraindicações/cuidados: Em doses excessivas, o chá pode causar queimaduras nas mucosas das vias digestivas, vômitos e diarreia. Não se deve utilizar quando de problemas renais, úlcera, gastrite e pessoas hipertensas. Não é recomendado o uso por crianças. As sementes só podem ser utilizadas segundo prescrição médica. Pode acumular muito nitrato nas folhas, podendo então ser tóxica

Efeitos colaterais: As sementes não devem ser ingeridas em grandes quantidades. Pode elevar a pressão arterial. Seus efeitos colaterais são: náuseas, problemas estomacais e diarreia leves em aproximadamente 1% dos usuários.

Modo de usar :

Chá das folhas : Ingerida 8 dias antes de uma viagem, evita o enjoo;

Tintura das sementes : moléstias da uretra, do útero e hemorróidas;

Decocção : ferver por 5 minutos, 2 colheres das de sopa de folhas em ½ litro de água. Tomar em pequenos goles. Favorece a digestão de alimentos ricos em gordura.

Vinho: macerar 20g de folha e 5g de cravo-da-índia em 1 litro de vinho branco, durante 5 dias; Coar e tomar 1 cálice após as refeições; Folhas novas são utilizadas como saladas e as raízes e os capítulos podem ser consumidos após cozidos em água; decocção de 20 g de aquênios em um litro de água, ferver por 8 minutos, tomar durante o dia;

Ingestão dos frutos moídos; Mastigação esporádica de frutos inteiros.

Cardo

Dieta  de 21 dias