Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

CASTANHA DA ÍNDIA EMAGRECE

Aesculus hippocastanus

Originário do sudeste da Europa e Ásia, o castanheiro-da-índia é conhecido em grande parte do mundo, mas os seus benefícios para a saúde são menos reconhecidos. As sementes castanho brilhantes venenosas se ingeridas são usadas para fazer um remédio para as veias.

Descrição : Planta da família das Fagáceas. Árvore de grande porte, com caule ereto, cilíndrico e ramificado, de copagem densa e regular. Cresce e se desenvolve rapidamente, chegando a atingir até 25 metros de altura e 80 centímetros de diâmetro na base. As folhas são opostas, com longos pecíolos e se compõem de 5 a 7 folíolos de tamanho variável, que se alargam para o ápice e terminam em ponta obtusa. As flores são brancas e amarelas, com manchas róseas ou vermelha. O fruto é uma cápsula esverdeada, espessa, eriçada de espinhos curtos, com sementes alvas e carnosas, revestidas de tegumento vermelho castanho. Devido ao seu porte majestoso e beleza, é cultivada nos parques e jardins das cidades europeias, onde há exemplares com mais de 250 anos. O seu plantio é feito por sementes e adapta-se a qualquer tipo de solo e clima. As sementes são colhidas quando da abertura espontânea das cápsulas.

Partes utilizadas : Sementes.

Origem : Acredita-se que é oriunda da Índia e da Pérsia, mas na verdade é originária dos Bálcãs, e foi levada à Europa no século XVI.

Modo de Conservar : As sementes devem ser secas ao sol, em local ventilado e sem umidade. Guardar em recipiente de vidro ou de porcelana. Após a secagem, pode ser transformada em pó.

Princípios Ativos : Saponinas triterpênicas; flavonoides; cumarinas; vitaminas; ácidos graxos; taninos ; fitosterol; açúcares.

Modo de Usar :

- Fragilidade capilar; circulação venosa deficiente; fragilidade venosa, em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de café do pó e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá , 2 vezes ao dia.

- Fragilidade capilar; circulação venosa deficiente; fragilidade venosa, hemorróidas externas e internas. fissuras e fístulas anais, coloque 1 colher de sopa de pó em 1 xícara de chá de álcool de cereais a 60%. Deixe em maceração por 5 dias e coe. Tome 1 colher de café, diluído em um pouco de água, de 2 a 3 vezes ao dia.

- Hemorróidas externas e internas; fissuras ou fístulas anais; oxiúros, coloque 1 colher de sopa de pó e 3 colheres de sopa de folha da carrapateira fatiadas em 1/2 litro de água em fervura. Desligue o fogo, espere amornar e coe. Faça banhos de assento, 2 vezes ao dia.

Problemas de circulação venosa : O castanheiro-da-índia é um dos principais remédios para veias e capilares.

Adstringente e anti-inflamatório, tem um efeito benéfico sobre as veias de todo o corpo, dando firmeza e tonicidade às paredes das veias danificadas e doridas.

Ao fazer retroceder o líquido que escapou das veias, o castanheiro-da-índia reduz o inchaço e a congestão das veias, bem como a inflamação, sendo a primeira opção para o tratamento de varizes e insuficiência venosa.

É tomado sobretudo em cápsulas ou comprimidos padronizados, embora também possa ser aplicado sobre a pele sobrejacente a varizes, sob a forma de loção, pomada ou gel. Não deve ser aplicado sobre pele aberta ou ulcerada.

A sua eficácia está razoavelmente demonstrada, mas geralmente tem de ser tomada durante vários meses para resultados visíveis, pois tratar a circulação venosa pode ser uma tarefa difícil.

Um teste clínico no Barts Hospital, em Londres, em 1996, mostrou que o extracto de castanheiro-da-índia era tão eficaz como as meias de descanso no tratamento das varizes das pernas.

O castanheiro-da-índia pode ser usado para tratar outros problemas que afetam as veias, por exemplo, hemorróidas e derrames, e pode ser útil para tratar cãibras nas pernas, bem como inchaço e retenção de líquidos nas pernas.

Pode ser tomado para tratar problemas como flebites, frieiras e úlceras nas pernas, mas só mediante conselho de um profissional.

Como remédio preventivo, ajuda a reduzir os riscos de debites, por exemplo, em voos de longo curso. Em França, usou-se um óleo extraído do castanheiro-da-índia para aplicação tópica no reumatismo e, nos EUA, uma decocção das folhas para tosse convulsa.

Castanha da Índia

Efeitos colaterais: Não há relatos, nas doses terapêuticas indicadas. Pacientes sensíveis podem apresentar irritação da mucosa gastrointestinal, náuseas; diminuição da função renal em portadores de insuficiência renal preexistente. A administração de aescina isolada hintra-venosa pode causar reação anafilática.

Veja também em nosso site :

Formulação Caseira de Extrato Alcoólico de Castanha da Índia.

Remédio Caseira do Pó da Castanha da Índia.

Estudos clínicos: A eficácia e segurança do extrato das sementes comparado com o uso de bandagens e meias elásticas mostrou-se semelhante mas o desconforto causado pelas segundas e incomparavelmente maior (Diehm, 1996); Houve eficácia na diminuição do edema por insuficiência venosa em mulheres grávidas, como também redução de dores, fadiga, distensão e prurido. (Steiner, 1990); A castanha age na insuficiência venosa crônica, peso nas pernas, câimbras noturnas, prurido e distensão nas pernas, age no edema pós-traumático e pós-operatório, eczema, hemorróidas, flebites.



TRATAMENTO DE CAVALOS

Na Turquia, o castanheiro-da-índia era usado para tratar problemas respiratórios em cavalos, burros e mulas. O seu nome comum em (horse chestnut) talvez venha daí. Já no século XVI, os ervanários constaram que "os turcos dão-lhe esse nome porque é muito útil para tratar cavalos ofegantes".

Dieta  de 21 dias