Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

CAVA CAVA

Piper methysticum

Descrição : Planta da família das Piperaceae, também conhecida como kawa-kawa ou pimenta embriagante. Pequeno arbusto de hábito trepador, perene com rizoma cilíndrico e fibroso. Mede em média dois metros, podendo chegar até seis metros, folhas grandes e lisas, em forma de coração, com aproximadamente 15 centímetros; inflorescências altas e esbranquiçadas. Fruto pequeno, com uma única semente em seu interior. Cresce em altitudes de 150 a 300 metros, existindo espécies nativas e cultivadas.

Parte utilizada: Raízes.

Habitat: Oceania, incluindo Papua e Nova Guiné, Tahiti, Fidji, Samoa, Hawai.

História: Passou a ser conhecida pelo mundo com os primeiros contatos entre os nativos do Pacífico e os Europeus; Seus usos são medicinais e rituais. Até hoje os nativos preparam uma bebida amarga para seus visitantes; O primeiro europeu a ter contato com esta planta foi possivelmente James Cook (1768-1771); Sua primeira descrição botânica foi feita por Johann G Foster e sua denominação piper, faz alusão ao seu sabor picante e methysticum, a palavra grega methu (bebida embriagante); O termo kava faz alusão a seu caráter aromático nas suas regiões de origem; Segundo De Felice, o uso da kawa-kawa se iniciou pela observação de ratos, que roíam as raízes deste arbusto, caiam inertes e, após algum tempo, voltavam a atividade normal.

Princípios Ativos: Ácido benzóico, ácido cinâmico, açúcares, bornil-cinamato, cavalactonas, cavaína, cinamilidenacetol, dimetoxiyangonina, demetoxiyangonina, desmetoxiyangonina, dihidroyangonina, dihidrocavaína, dihidrometisticina, dihidrometisticina, dimetoxidihidrocavaína, dihidrocavaína, estigmasterol, flavocavaínas, glicosídeos, metisticina, metoxiyangonina, mucilagens, pironas, pipermetistina, tetrahidroyangonina, yangoninas.

Propriedades medicinais: Afrodisíaca, analgésica, anestésica local, ansiolítica, anticonvulsivante, antidepressiva, anti-inflamatória, espasmolítica, narcótica, relaxante, sedativa.

Indicações: Agitação, ansiedade, angústia nervosa, depressão, estados de tensão, estresse, insônia.

Contraindicações/cuidados: Gravidez, aleitamento, mal de Parkinson, usuários de ansiolíticos (Diazepam, Temazepam, Alprazolam), antidepressivos, antipsicóticos ou outro agente que cause depressão do sistema nervoso central, como sedativos e hipnóticos. Podem ocorrer sérios danos ao fígado. Na França está proibido a fabricação e venda de produtos a base de kava-kava. A Alemanha e o Canadá planejam fazer o mesmo. No Canadá, houve 30 casos de hepatite devido ao consumo de cava-cava, com uma morte.

Toxicologia: O kawa kawa, pode danificar o fígado quando é usado por longos períodos.

Superdosagem: Intolerância gastrintestinal, déficit de niacina, sonolência e diminuição de reflexos.

Posologia:

Decocto: 2 a 4% - 2 a 3 xícaras/dia;

Extrato seco: 200 mg uma ou duas vezes/dia;

Extrato fluido: 2 a 4 m vezes dia.

Efeitos colaterais: Intolerância gastrintestinal, rush cutâneo, sonolência e diminuição de reflexos em pessoas sensíveis.

Precauções: Deve ser utilizada em períodos intermitentes.

Modo de usar: Extrato em pó dos rizomas.

Cava Cava

Dieta  de 21 dias