Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

ESTORAQUE

Liquidambar orientalis

Descrição: Planta da família das Hamamelidaceae, também conhecida como estírax, Oriental storax. Árvore de porte médio, semelhante as encontradas na Ásia. Dela se extrai o benjoim, que é na verdade a secreção, espessa, viscosa, amarelada, obtida dos cortes feitos na casca da árvore. A resina, que surge como lágrimas de diversos tamanhos, e formada para cicatrizar os cortes feitos na casca da árvore; escurece com a secagem, tem odor que lembra a baunilha.

Parte utilizada: Resina casca do caule.

Habitat: É nativa da América Tropical, sendo encontrada na Bahia, Minas, São Paulo e estados do sul do pais em matas, capoeiras e encostas. Uma outra espécie, da mesma família, é nativa da Ásia e Ilhas do Pacifico.

História: É usado na medicina popular e como incenso em igrejas. Faz parte das farmacopeias; chinesa e ayurvedica.

Estoraque

Princípios Ativos: ácido 3-epioleanólico, ácido oleanólico, ácido cinâmico, ácido xiquímico, alfa-sitosterol, alfa-sitoresina, beta-sitoresina, benzil-álcool, benzil-cinamato, cinamil-cinamato, estoresina, estoresina-cinamato, estiracina, estireno, estirol, etanol, etil-cinamato, feniletileno, fenopropil-álcool, fenilpropil-cinamato, monotropeosídeo, tanino, vanilina.

Propriedades medicinais: Adstringente, afrodisíaca, antimicrobiana, aperiente, desodorante, emenagoga, estimulante, expectorante, fumigante, parasiticida.

Indicações: Indigestão, vermes intestinais, hemorroida, psoríase, afecção cutânea, falta de apetite devido a doença, insônia, irregularidade menstrual, difteria, afecção nos brônquios e nos pulmões, tosse, catarro pulmonar, reumatismo, ferida, leucorreia, gonorreia.

Efeitos colaterais: Muito raramente o uso extremo pode provocar dermatite de contato.

Superdosagem: O uso interno em doses superiores as recomendadas pode provocar diarreia. O uso externo em áreas muito grandes podem levar a intoxicação por absorção com albuminúria e nefrite hemorrágica.

Posologia: Adultos: 10ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluídos em água; Seu uso externo é feito principalmente sob a forma de sabonete de benjoim; A resina também pode ser utilizada em inalações.

Aromaterapia: antisséptico


Dieta  de 21 dias