Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

CENTAUREA AZUL

Centaurea cyanus

Planta anual que produz uma flor azul, muito utilizada em afecções ulcerosas e estéticamente pode ser usada para reduzir olheiras.

Descrição: Planta da família das Asteraceae, também conhecida como fidalgunhos, marianinha, escovinha, centaurea.

Planta anual, com folhas ovais, lanceioladas, (Vieira p.682) que produz uma flor azul violeta, podendo atingur uma altura de 60 centímetros. (Sciulli p. 26)

Origem : Europa. (1. p. 74)

Propriedades medicinais: Aperiente, digestivo, diurético, estimulante, laxante, tônico.

Indicações: Afecção ulcerosa, conjuntivite, debilidade do estômago, ferida, ferida secundária, perturbações gástricas, úlcera de boca.

Olheiras, associada em uma emulsão com castanha da Índia, pode ser usada para reduzir o inchaço dos olho spor ação drenante e descongestionante. (Sallet p. 104)

Fidalguinhos

História :

Conhecidas desde os primórdios, elas apareciam constantemente nas pinturas tumulares dos antigos egípcios, junto a lírios, açucenas e narcisos.

O imperador alemão, Guilherme I, momentos antes de fugir do exército de Napoleão, presenteou sua mãe com um buquê de Centáureas.

Esse gesto fez com que a planta se tornasse símbolo da delicadeza do amor dos filhos.

Cyanus era um jovem, na lenda grega que adoravam Chloris (Flora ou), e gasto a cada hora de vigília de coleta flores para seu altar. (Hoje chamamos isso de um stalker.)

Quando ele morreu, a deusa deu seu nome à planta, que alguns acreditavam que ela transformou-o na planta.

Centáurea nos vem o centauro Quíron, que curou uma ferida purulenta que foi feito com uma flecha embebida em sangue da Hidra.

A ferida foi curada, cobrindo-o com as flores desta planta, que hoje leva seu nome como o seu nome do gênero.

Isso também deu a planta a sua reputação de grandes propriedades curativas.

Bibliografia :

1 - Boletim do Museu Nacional: Botânica. Nova série. Universidade da Califórnia. O. Museu, 1944

Sallet, Carla Goes, Belíssima aos 40, 50, 60, 70... Conex

Sciulli, Edite Siegert. Plantas anuais – Guia prático. NBL Editora, 1999

Vieira, Domingos , Adolfo Coelho, Teófilo Braga

Thesouro da lingua portugueza, Volume 2. E. Chadron e B. H. de Moraes, 1873

Dieta  de 21 dias