Plantas Que Curam - O seu guia de Plantas Medicinais na Internet

GENGIBRE EMAGRECE

Zingiber oficinale roscoe

Descrição : Herbácea anual da família das Zingiberáceas, com caule subterrâneo horizontal e ramifica, de onde saem hasdtes longas, com folhas lineares e sésseis. As folhas de cor verde-escura, são lisas na face superior e um tanto ásperas na infeiror. Suas flores amarelas são numerosas, proteidas por escamas membranosas e juntam-se em espigas ovais. O fruto é uma cápsula com sementes. É uma planta vivaz e aromática. O rizoma, que chamam também de raiz, é rasteiro, carnoso, espesso e nodoso. Contêm uma substância ue é uma espécie de massa sólida e aquosa. Diz-se que é uma palnta quente, isto devido ao seu sabor acre e picante O seu plantio deve ser feito com os pedaços de rizoma, que contenham um olho, e separados à distância de 1o cm um do outro. Depis de 3 meses, as mudas devem ser transplantadas para o local definitivo. Vegeta melhor em climas quentes, em terrenos arenosos, levez, férteis, humosos e bem drenados. Não deve, entretanto, ser plantada durante anos eguidos no mesmo lugar, pois isso diminue sua produção. A colheita começa a acontecer 7 meses após o palntio, quando as hastes ficam amarelas, e deve ocorrer manualmente, revolvenso-se a terra com forquilhas, apra não machucá-las.

Parte utilizada: Óleo essencial, rizoma.

Habitat : É nativa da Ásia, hoje é encontrada mundialmente É cultivada no Cerrado e no nordeste.

História : É usado como alimento há milênios e até hoje, em quase todas as culturas.

Origem : Ásia oriental. Foi introduzida no brasil no século XIV, pelos colonizadores. Adaptando-se muito bem em todas as regiões de clima tropical.

Plantio : Multiplicação: por rizoma (cortam-se em pedaços com gema) e faz-se o plantio direto ou preparam-se as mudas (até 3 meses); Cultivo: plantio em covas de 10 cm de profundidade em terrenos arenosos, leves, férteis e bem drenados com pH=5,5, com espaçamento de 0,5m X 0,5m; Colheita: colhem-se os rizomas 7 meses após o plantio das mudas ou 10 meses após o plantio direto. Os rizomas devem ser lavados, secos ao sol por 6 dias e acondicionados em vidros escuros ou sacos de pano.

Modo de conservar : Lave muito bem os rizomas, enxugue e deixe secar ao sol. Devem ser guardados em vidros escuros ou sacos de pano. Para o uso fresco, cortar em rodelas finas e gaurdar em sacos plásticos na geladeira. Duram de 2 a 3 semanas. os rizomas devem ser protegidos da umidade, para que não surja o ataque de fungos.

Propriedades : Descongestionante, tônico, expectorante, eupéptico, afrodisíaco, digestivo, carminativo, sudorífero.

Indicações : É usada para combater gripes, resfriados, tosses, fraquezas do estômago, rouquidão, bronquites, dores reumáticas, nervo ciático e nevralgias. Impede a formação de gases no aparelho digestivo. Usado também no combate a enxaqueca por bloquear a síntese de prostagladina, sobstância produzida pelo organísmo e que está envolvida nos processos inflamatórios e na dor.

Uso pediátrico: Em dores da artrite reumatóide juvenil. Febre reumática e nas cartilagens de conjugação e em enfermidades da pré-adolescência como a epifisiólise

Principios Ativos : Óleo essencial rico em terpenos, fenóis (gingerol) responsável pelo sabor ardente, e resinas.

Modo de usar:

Cólicas intestinais; eliminador de gazes do estômago e intestino; estimulante da digestão : em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de sobremesa de rizomas fatiado e adicione água fervente. Abafe por 5 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá, nas principais refeições.

Dores reumáticas; cólicas intestinais; eliminador de gazes do estômago e intestino; estimulante da digestão : em um pilão, coloque 2 colheres de sopa de rizoma picado. Amasse bem e adicione 1 xícara de chá de ácool de cereais a 90%. Deixe em amceração por 5 dias. Coe e armazene em frasco escuro.Tome 1 colher de café, diluído em um pouco de água, 2 vezes ao dia.

Reumatísmo; artrite; entorses; dores musculares; nevralgias: em um pilão, coloque 1 colher de chá de rizomas picado, 1 colher de chá de pimenta vermelha ardida, 1 colher de chá de mastruço e 1 xícara de café de óleo de cozinha. Amasse muiot bem. Leve essa mistura ao fogo em banho, aplique na região dolorida, 2 vezes ao dia, fazendo ligeira massagem. Cubra em seguida, apra aquec er o local.

Asma brônquica; bronquite; amigdalite; rouquidão; tosse: em 1 xícara de café, coloque 1 colher de sopa de rizoma fatiado e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, coe e acrescente 2 xícaras de café de açúcar mascavo e o suco de 1 limão. Misture bem até dissolver o açúcar. Tome 1 colher de sopa, 3 vezes ao dia. para crianças dar somente 1 colher de sobremesa, 3 vezes ao dia.

Simnusite; rinite: em um recipiente com um litro de água em fervura, coloque 1 colher de sopa de rizoma fatiado. Desligue o fogo, cubra a cabeça com um pano e inale os vapores que se despremdem, de manhã e à noite, antes de dormir. Cautela quanto ao sereno.

Gengibre

VEJA TAMBÉM EM NOSSO SITE :

Receita Caseira de Escalda Pés do Chá do Gengibre

Receita Caseira de Inalação de Chá de Gengibre.

Receita Caseira de Cataplasma de Gengibre.

Receita Caseira de Balas Caseiras de Gengibre.

Receita Caseira de Cristais de Gengibre.

Receita de Extrato Alcoólico de Gengibre.

Formulação Caseira de Gengibre com Mel.

Receita Caseira de Vinho Medicinal de Gengibre.

Receita de Chá dos Rizomas do Gengibre.

Toxicologia : Em doses altas produz gastrite. O uso da tintura (álcoólica) é desaconselhado por ser irritante para o estômago. O uso externo pode provocar queimaduras.

Posologia: Adultos: 8g de sementes torradas (1 colher de sopa para cada xícara de água) em decoto 2 vezes ao dia. com intervalos menores que 12hs: 2 a 59 do pó ao dia. Fricções do óleo em articulações dolorosas e peles ásperas. Massagem sobre a pele ressecada e gotas aplicadas diretamente no ouvido; Crianças: tomam de 1/3 a 1 dose em Uso interno

Efeitos colaterais : Aumento do número de evacuações ou diarréia pastosa em intestinos com tendência à diarréia.



Farmacologia: O gengibre é usado para promover secreções gástricas, aumento do peristaltismo intestinal, reduzir o nível de colesterol, aumentar a glicose no sangue e estimula a circulação periférica. É de uso tradicional para estimular a digestão, seus usos modernos incluem a profilaxia para a náusea e o vômito (associadas com a cinetose, hiperêmese da gestação e a anestesia), para a dispepsia. a falta do apetite, a anorexia, cólicas, bronquite e reclamações reumáticas. O gengibre é também usado como um condimento ou uma especiaria (assim) e também como um fungicida e um inseticida : O gingerol e o composto relacionado chugaol possuem atividade cardiotônica Os extratos brutos de metanol de gengibre são conhecidos por ter um efeito inotrópico positivo forte no coração de animais. O gingerol demonstrou exercer uma ação inotrópica positiva, de forma diretamente proporcional a dose, em doses tão baixas quanto 104 ml, quando aplicados no tecido atrial isolado. A carga de trabalho cardíaca é diminuída ainda mais pela dilatação dos vasos sanguíneos através da estimulação da biossíntese da prostaciclina; A administração oral de 6-gingerol (1,75 to 3.50 mg/kg) e 6-chugaol (70 to 140 mg/kg) inibiram a atividade motora espontânea, produziu efeitos antipiréticos e analgésicos, e prolongou O tempo de sono induzido por hexobarbital em animais de laboratório. O composto 6-chugaol foi geralmente mais potente do que 6gingerol, também mostrando ter um efeito antitussígeno intenso quando comparado com o fosfato do dihidrocodeína. É Interessante notar que o 6-chugaol inibiu a mobilidade intestinal quando administrado por via intravenosa. mas quando administrado por via oral facilitou a mobilidade gastrointestinal. Ambos os compostos foram cardiodepressivos em baixas doses e cardiotônicos em umas doses elevadas. O 6-gingerol, as dlhidrogingerdlonas. e as gingerdionas são inibidores potentes da biossíntese da prostaglandina. através da inibição da enzima prostaglandina sintetase (ciclooxigenase); O gengibre mostrou uma ação fungicida fraca, uma ação antibacteriana forte. além de propriedades vermífugas. Estudos mostraram que os componentes ativos inibem a reprodução da Escherichia Coli. da espécie Proteus. dos estafilococos, dos estreptococos, e das salmonelas. mas estimulam o crescimento dos lactobacilos. O óleo volátil da espécie Zingiber purpureum Roxo mostrou ter uma atividade vermífuga in vitro contra o verme Ascandla galli Schrank. Atividade vermífuga também foi relatada contra parasitas, tais como o Esquistossomo e o Anisaquis; O composto citotóxico zerumbona e seus epóxido foram isolados dos rizomas do Zingiber zerumbet. Esta planta. também um membro da Família Zingiberaceae, tem sido usada tradicionalmente na China como um agente anti-neoplástico. Os compostos isolados inibiram o crescimento em cultura de um tecido de hepatoma: Os ensaios clínicos humanos examinaram os efeitos antieméticos do gengibre relativos ao cinetose (enjôo devido ao movimento), à anestesia perioperativa, e a hiperémese da gestação Porém pouco se sabe a respeito da farmacologia humana do gengibre no tratamento destas condições. Os estudos em animais descreveram uma melhora no transporte de alimentos pelo sistema gastrointestinal, assim também como um efeito anti-serotonina e possíveis efeitos antieméticos promovidos pelo SNC. Foi proposto que contrariamente aos antistamínicos, que atuam no SNC, as propriedades aromáticas, carminativas, e possivelmente absorventes do gengibre melhorassem os efeitos da cinetose atuando diretamente no sistema gastrointestinal. O gengibre pode aumentar a mobilidade gástrica e bloquear reações gastrointestinais e náusea subseqüente; Duas investigações separadas não encontraram nenhum efeito do gengibre na deficiência do SNC causada pela cinetose, pois pacientes retiveram a habilidade de executar determinados movimentos da cabeça e do olho; Concluiu-se que os sintomas da cinetose podem ser dissociados da atividade elétrica gástrica e que os efeitos taquigástrico parciais do gengibre são fracos para aliviar o início ou a severidade destes sintomas: As mulheres grávidas que sofrem com hiperémese da gestação receberam gengibre (250 mg 4 vezes ao dia) ou placebo durante 4 dias. Quase 70% das mulheres tratadas subjetivamente preferiram o gengibre ao placebo. O gengibre também se mostrou melhor do que o placebo em aliviar os sintomas. Um caso descrito na literatura relata o uso bem sucedido do gengibre em uma paciente com síndrome de Interrupção dos ISRS (inibidores seletivos da receptação da serotonina). O Uso benéfico em outros 20 pacientes também foi relatado. O gengibre melhorou os sintomas (por exemplo, desequilíbrio e náusea) associados com a descontinuação abrupta ou o abandono intermitente de inibidores seletivos da receptação da serotonina. A administração de 1100 mg da raiz de gengibre 3 vezes ao dia no início de sintomas induzidos pela descontinuação conduziu a um alívio parcial ou completo dos sintomas dentro de 24 a 48 horas. A terapia utilizando o (com) gengibre foi continuada por aproximadamente 2 semanas, o tempo necessário para que os sintomas desapareçam. A inibição de síntese de tromboxano conduz à inibição da agregação das plaquetas, mas a evidência indica que esta reação é dependente da dose ou pode apenas ocorrer com gengibre fresco. Os únicos 2 relatórios in vivo que relatam uma função anormal das plaquetas envolveram o consumo de grandes quantidades de gengibre cru, 1 voluntário consumiu grandes quantidades de marmelada contendo 150g de gengibre. e 1 estudo administrou 5 gramas diárias de gengibre fresco e cru por 1 semana. Um estudo foi incapaz de detectar mudanças mensuráveis no tempo de sangramento, na contagem de plaquetas, ou na agregação das plaquetas seguidas de uma única dose de 2g de gengibre seco em 8 homens saudáveis; O suco preparado da raiz de gengibre foi encontrado capaz de inativar in vitro a mutagenicidade dos produtos de pirólise do triptofano; Não há nenhum relato de toxicidade severa pela ingestão de gengibre em seres humanos; Um ensaio clínico (N = 12) empregou a manometria gastroduodenal para avaliar efeitos procinéticos do gengibre durante jejum e pósprandial em voluntários saudáveis. Um aumento significativo na mobilidade antral e na resposta motora In corpus. com uma tendência para o aumento da resposta motora em todas as regiões foi encontrada. Entretanto. nenhum efeito do gengibre na mobilidade gástrica usando uma técnica de absorção do acetaminofeno foi encontrado em 16 voluntários saudáveis; Um estudo duplo-cego (N = 36) comparou o efeito de 940 mg de pó da raiz de gengibre contra 100 mg de dimenhidrinato e o placebo (a erva moruagem) na prevenção da cinetose. As preparações foram administradas 20 a 25 minutos antes de colocar os voluntários com os olhos vendados em uma cadeira giratória. Aqueles que recebem a raiz do gengibre permaneceram na cadeira por mais tempo (uma média de 5,5 minutos, comparada com 3,5 e 1,5 minuto para os grupos do dimenhidrinato e o placebo, respectivamente). e 50~/0 permaneceu na cadeira pelos 6 minutos completos do teste. Nenhum dos voluntários nos outros grupos terminaram o teste. No total, o grupo que recebeu gengibre levou mais tempo para começar a sentir enjôo. porém uma vez que o centro de vômito foi ativado, as sensações de náusea e o vômito progrediram na mesma taxa em todos os grupos Um estudo duplo-cego e placebo-controlado em cadetes da Marinha com enjôo marítimo (N = 79), relatou reduções significativas dos sintomas (vômito e calafrios) e visivelmente suprimiu a tontura após a administração de 1 grama de raiz de gengibre. O nistagmo foi relatado como não alterado, Um estudo que envolveu 1741 participantes em uma excursão de barco no oceano descreveu que a administração de 250 mg de gengibre antes da partida foi tão eficaz quanto o cinnarizino. a escopolamina, o dimenhidrinato, o meclizino, e o ciclizino. O gengibre (500 mg a cada 4 horas) e o dimenhidrinato (1 00 mg a cada 4 horas) foram comparados em um outro estudo duplo-cego, e efeitos protetores similares foram observados, porém aqueles que recebem o gengibre não relataram nenhum efeito colateral, Outros ensaios não mostraram nenhuma diferença significativa entre gengibre, drogas antieméticas e o placebo a respeito dos sintomas gástricos e não-gástricos; Um outro estudo placebo-controlado avaliou a habilidade dos participantes de tolerar movimentos da cabeça enquanto sentados em uma cadeira giratória de olhos vendados. O gengibre foi comparado contra a escopolamina (0,6 mg por via oral) em diversos grupos pequenos de participantes. Concluiu-se que o gengibre administrado em doses de 500 a 1000 mg de pó de gengibre ou 1000 mg de raiz de gengibre fresco não ofereceu nenhuma proteção contra a cinetose sob várias condições de teste, enquanto o grupo da escopolamina põe tolerar um aumento significativo no número de movimentos da cabeça. No mesmo estudo, o esvaziamento gástrico e a atividade elétrica gástrica (através de um electrogastrograma [EGG]) foram avaliados em 2 grupos pequenos. O gengibre parcialmente inibiu e estabilizou o taquigastria mas não afetou a amplitude do EGG: Os efeitos antieméticos do gengibre foram comparados com a metoclopramida e o droperidol na prevenção da náusea e vômito pós-operatória. Um ensaio perspectivo, randomizado e duplo-cego (N := 120) avaliou 1 g da raiz de gengibre em pó contra 10 mg de metoclopramida administrado 1 hora antes da anestesia em mulheres que se submeteram (-se) a laparoscopia ginecológica. A anestesia foi induzida com propofol, fentanil e atracurium. Os resultados obtidos concordaram com aqueles de estudos precedentes - o gengibre e a metoclopramida foram igualmente eficazes e foram mais eficazes do que o placebo na redução da incidência da náusea e vômito e pós-operatório (21 %, 27 e 41 %, respetivamente). A necessidade para antieméticos no pós-operatório foi reduzida significativamente naqueles pacientes que recebem o gengibre comparado com grupo de placebo (15% contra 38%, P = 0,006); Em uma comparação - placebo-controlada contra o droperidol, nenhuma diferença estatisticamente significativa foi encontrada com a raiz de gengibre ou a raiz de gengibre acompanhada do droperidol na incidência da náusea e Vômito e pós-operatório em 120 mulheres que se submeteram à laparoscopia ginecológica. A anestesia foi induzida com tiopental, fentanil e succinilcolina. Os tratamentos consistiram na administraçao de dropendol (1,25 mg por IV), da raiz de gengibre por via oral (1g administrada 1 hora antes da indução anestésica e 1 g administrada 30 minutos antes da liberação da paciente), e o gengibre mais o droperidol ou o placebo. Enquanto a incidência da náusea pós-operatória (20%, 22°~, 33%, e 32C:o) e do vômito (13%, 25%, 25%, e 35°'0) não alcançou um significado estatístico, as figuras parecem ter uma importância clínica potencial; Um estudo sobre a dosagem (randomizado, duplo-cego e placebo controlado) concluiu que 0,5 9 e 1 9 da raiz de gengibre em pó foi ineficaz em reduzir a incidência da náusea e vomito e pós-operatório em 108 pacientes. Entretanto, a metodologia deste ensaio em particular (são) é questionável.. Para permitir que o aroma de identificação das cápsulas de gengibre se dissipassem, as cápsulas foram removidas de seu recipiente original e armazenadas em grupo de 2 cápsulas por 2 dias em um sacos de plástico, até que o opor tivesse desaparecido. A eliminação do aroma significa que os princípios pungentes (incluindo os composto sesquiterpénicos que produzem o aroma característico do gengibre), responsáveis para a atividade farmacológica do gengibre, também foram eliminados.


Ajude Plantas Que Curam a difundir a saúde pela natureza, divulgando nosso site nas redes sociais.

Nosso site é um serviço oferecido de forma gratuita, mais se caso você desejar contribuir com nosso trabalho, pode fazer uma doação pelo sistema pagseguro do Universo On-line.