Plantas Que Curam - O seu guia de Plantas Medicinais na Internet

HAMAMÉLIS

Hamamelis virginiana

Descrição : Da família das Hamameliadáceas, também conhecida como vassoura de bruxa, aveleira de bruxa. A hamamelis é um arbusto ou uma pequena árvore decidua, que frequentemente chega a aproximadamente 6 metros de altura. A planta é encontrada na maioria da América do Norte.

Suas folhas largas e dentadas são ovadas, as flores amarelo-douradas florescem no outono. As frutas em cápsulas marrons aparecem após as flores, e quando maduras langam suas duas sementes longe da árvore. As folhas, a casca do tronco, e os galhos secos são usados medicinalmente.

Partes Utilizadas - Folhas e a casca.

Habitat: EE.UU.e Canadá.

História: A hamamelis e uma planta muito conhecida e com uma longa história de uso nas Américas; Uma fonte lista mais de 30 usos tradicionais da hamamelis incluindo o tratamento das hemorróidas, queimaduras, cânceres, tuberculose, resfriados, e febre.

Tradicionalmente, a hamamelis era conhecida pelos nativos norte-americanos como um tratamento para tumores e inflamações do olho. Seu uso interno era para estancar hemorragias; Os colonos europeus do século XVII aprenderam o valor da planta por suas ações adstringentes, é ainda hoje usada para esta e outras finalidades.

Plantio : Multiplicação: sementes (formação de mudas);

Cultivo: Planta originária da América do Norte. Prefere clima temperado e tolera solos fracos e secos. Planta-se as mudas em setembro e outubro em espaçamento de 8m X 8m.

Colheita: Colhem-se as folhas no verão, galhos e cascas são retirados no outono ou no inverno, quando caem as folhas.

Propriedades : Tônico venoso, hemostático, sedativo ocular.

Indicações : Varizes, flebites, pernas cansadas e hemorróidas. Combate dermatites, eczemas, pele sêca e rugas.

Uso pediátrico: As mesmas indicações possíveis.

Uso na gestação e na lactação: Informação sobre a segurança e eficácia da hamamelis durante a gravidez e a amamentação não foi encontrada. Não se aconselha seu uso.

Principios Ativos : Folhas: Taninos: hamamelitanino, digaloilhamamelose e outros galotaninos; Casca: hamamelitanino e taninos condensados; Outros componentes: Flavonoides: kaempferol, quercetina: Ácido gálico; Saponinas; Óleo fixo e óleo volátil: safrol, eugenol, resina, cera, e colina; A água de hamamelis é um destilado de vapor do extrato, não contém nenhum tanino.

hamamelis
hamamelis hamamelis hamamelis

Modo de usar:

Uso interno:;

- tintura: 20 gotas em ½ cálice de água;

- extrato fluido: 1 colher de chá 3 vezes/dia;

- extrato fluído: 1 g/dose de 2 a 6 vezes ao dia;

- extrato seco: 0,50 a 2 g/dia; - pó: 2 a 6g/dia, em doses de 1g;

- infusão: 5 g de folhas picadas em 1 xícara de água fervente.Tomar 3 vezes ao dia;

- extrato fluido em álcool 45%: 1 g/dose – 2 a 6 vezes ao dia. Uso externo:;

- tintura: 10 a 60 gotas diluídas em água;

- tintura da casca: 2 a 4 ml três vezes ao dia, para bochechos;

- loções tônicas, e após barba, géis refrescantes, cremes e loções para peles oleosas: 5-10%;

- extrato glicólico: xampus: 2-5%.

Posologia: 4 a 5g de planta seca ou 8 a 10g de planta fresca (1 colher de sopa para cada xícara de água) de casca ou folhas em decoto ou infuso para compressas e banhos (usar proporções maiores).

Supositórios que contêm a hamamelis possuem uma dose de 0,1 a 1 gl dose.

Os chás podem ser usados topicamente para o tratamento sintomático da coceira e outras inflamações da pele e preparações oftálmicas; em extratos líquidos, cataplasma, e comumente como a água de hamamells

- Extrato destilado - obtido dos galhos da planta cortados frescos e ainda parcialmente dormentes. A água de hamamelis é a forma da planta mais freqüentemente encontrada comercialmente e é geralmente mantida em casa como um agente tópico de refrigeração ou um adstringente, não contém taninos e pode ser usada internamente.

Contra-indicações/cuidados: Embora o óleo volátil contenha o composto carcinogenico safrole, este e encontrado em quantidades (muito) menores do que as presentes em outras plantas como as do genero Sassafras. Embora os extratos da hamamelis estejam disponiveis comercialmente, não se recomenda o uso interno destes extratos pois a toxicidade por taninos ainda não foi bem definida.

Efeitos colaterais: Embora os taninos não sejam absorvidos após a administração oral, doses de 1 g da hamamelis causam a náusea, vômito, ou a constipação possivelmente causando impactações. Danos hepáticos podem ocorrer se muitos dos taninos forem absorvidos. A água de hamamelis não e para o uso interno. Os chás podem ser feitos das folhas e dos galhos disponíveis comercialmente em lojas de alimentos e produtos naturals, porem a seguranga do chá ainda não foi definida. Existe pelo menos um relatório disponível que descreve a alergia de contato a hamamelis.

Superdosagem: Uso interno pode causar a náusea, vômito ou a constipação.

Farmacologia : As folhas, a casca, e os extratos da hamamelis possuem propriedades adstringentes e hemostáticas. Estes efeitos foram atribuídos à presença de uma concentração relativamente alta de taninos nas folhas, casca, e extratos.

Os taninos são precipitam as proteínas quando presentes em concentrações adequadas. A água de hamamelis não possui nenhum tanino, porém ainda retém a adstringência. Isto sugere que outros constituintes da planta também possuem qualidades adstringentes. O mecanismo de adstringência da hamamelis envolve uma conglomeração das proteínas da pele, que se tornam fisicamente mais próximas assim, formando um revestimento protetor que promove a cicatrização da pele.

Esta qualidade é desejável no tratamento das hemorroidas (incluindo medidas preventivas contra hemorroidas recorrentes). Um chá da planta foi usado em casos de diarreia, disenteria, e os problemas de colite.

Problemas de pele também são tratados com a hamamelis. Suas propriedades de ressecamento e efeitos adstringentes ajudam no tratamento de inflamações da pele, como o eczema. A ação da hamamelis em lesões da pele também protege contra as infecções. Loções de pele também podem conter a hamamelis com esta finalidade.

Inflamação das membranas mucosas da boca, garganta, e gengivas também podem ser tratadas com um gargarejo de hamamelis. A hamamelis é usada também para tratar as veias danificadas. Sua habilidade de contrair as veias distendidas e restaurar o tom dos vasos é empregada no tratamento das varizes e é também útil em equimoses e torceduras. Esta propriedade hemostática da hamamelis é acreditada parar o sangramento imediatamente e, se usado como um enema, oferecer uma cura rápida para o sangramento de hemorroidas internas.

Na Europa, um extrato alcoólico líquido é usado internamente para tratar as veias varicosas.

Resultados de estudos em animais

- Extratos liquidos administrados em coelhos por via paraenteral foi mostrado produzir uma ação vasoconstritora. Resultados de estudos clínicos

- Pesquisa da literatura não revela nenhum dado clínico sobre o Uso da hamamelis para qualquer condição médica.

Toxicologia : Embora o óleo volátil contenha o composto carcinogênico safrole, este é encontrado em quantidades (muito) menores do que as presentes em outras plantas como as do gênero Sassafras.

Embora os extratos da hamamelis estejam disponíveis comercialmente, não se recomenda o Uso interno destes extratos pois a toxicidade por taninos ainda não foi bem definida.

 

VEJA TAMBÉM :

Medicamentos que contém o hamamelis na sua composição.

Dinill - Solução oftálmica em frasco plástico conta-gotas, hermeticamente fechado e estéril, com 10 ml.

Optrex - Colírio, solução contém água de Hamamélis (preparação à base de Hamamelis virginiana), que possui propriedades adstringentes moderadas e refrescantes.


Indique nosso site para um amigo.