Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

INSULINA VEGETAL, COMBATE A DIABETES E EMAGRECE

Cissus sicyoides

Essa trepadeira tem grandes propriedades fitoterápicas como baixar a pressão arterial e combater a diabetes.

Descrição : Planta da família das Vitaceae, também conhecida como mãe-boa, cipó-pucá, cipó-puci, aquite, anil-trepador, caavurana-de-cunhan, cipó-da-china, cortina-japonesa, diabetil, insulina-vegetal, proeza-japonesa, tinta-dos-gentios, uva-brava, uva-do-mato.

É́ uma uma herbácea trepadeira, perene, vigorosa, com ramos e folhas um pouco carnosas, possui gavinhas opostas as folhas e raízes aéreas pêndulas, nativa da região norte do Brasil. Folhas simples, membranáceas, glabras, de 4-7cm de comprimento. Flores pequenas, de cor creme, dispostas em inflorescências corimbiformes. Fruto drupa ovóide-globosa, de cor roxo-escura, com polpa carnosa, contendo uma única semente de cerca de 6 mm de comprimento. Multiplica-se tanto por sementes como pelo enraizamento dos ramos.

Indicações: abscesso, beribéri, derrame, diabete, coração (taquicardia, hidropisia, abaixar a pressão arterial), hidropisia, reumatismo, taquicardia, preventiva de derrame, inflamação, reumatismo, estômago, hemorroida.

Parte utilizada: Folhas.

Origem : Espécie nativa da América tropical.

Princípios Ativos: esteróis, quinonas e compostos fenólicos nas folhas e antocianinas nos frutos; aminoácidos, alcaloides, saponinas, taninos , açúcares, esteróis, lactonas sesquiterpênicas e luteolina; flavonoides: cianidina, cianidina-3-arabinosídeo, cianidina-3-rhamnosil-arabinosídeo, delfinina, delfinidina-3-O-b-D-glucosídeo, delfinidina 3-O-b-D-glucosídeo e delfinidina-3-rhamnosídeo; sais de magnésio, manganês, silício, cálcio, fósforo e potássio.

Propriedades medicinais: hipotensona, sudorífica, antirreumático, antidiabética, anti-inflamatória, estomáquica, hipoglicemiante e anti-hemorroidal.

Insulina Vegetal

Modo de usar:

Infuso e Decocto a 2%: de 50 a 200cc por dia de 1 a 4cc por dia. b) Tintura: de 5 a 20cc por dia. c) xarope: de 20 a 80cc por dia.

Infusão: 1 folha picada em uma xícara de chá e derramar água fervente, tampar por 10 minutos. Tomar 1 a 3 vezes ao dia.

Chá contra diabete: colocar 2 colheres da folha seca da insulina (planta), 3 folhas grandes frescas, em um litro e meio de água fervente. Abafar e deixar descansar por 20 minutos. Coar e tomar de 3 a 4 vezes ao dia.

Uso externo:

- reumatismo e furúnculos: folhas amassadas.

- abscessos e gânglios inflamados: folhas aquecidas.

Farmacologia: Esta espécie tem sido usado na medicina popular como hipoglicemiante, pela extração da fração solúvel em melanol (FS) oblida a partir do Extrato Aquoso da Planta. Nos últimos anos vem sendo muito usada como hipoglicemiante por inúmeras pessoas, o que tem provocado várias pesquisas de laboratório.



VEJA TAMBÉM EM NOSSO SITE :

Receita Caseira de Chá da Insulina Vegetal.

Bibliografia:

_XVIII simposio de plantas medicinais do Brasil: livro de resumos - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazonia, 2005

Adriana KH Bolsonni, Camila Demoner, Thaila S Vulpi & Ary G Silva- O uso de espécies vegetais como fitoterápicos hipoglicemiantes - Publicado pela ESFA .

ALMEIDA, Mara Zélia de. Plantas Medicinais - Salvador, SciELO - EDUFBA, 2003.

LORENZI, Harri, Francisco José de Abreu Matos., Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas - Instituto Plantarum de Estudos da Flora, 2002.

NETO, Pedro Accioly de Sá Peixoto e Luiz Carlos Caetano. Plantas medicinais: do popular ao científico - Maceió, UFAL, 2005.