Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

JACATUPÉ

Pachyrhizus erosus

A raíz é a única parte consumível dessa planta da América Centra, pois o restante é tóxico, porêm é uma grande fonte de nutrientes e boa contra nefrite e febre.

Descrição : Planta da família das Fabaceae, também conhecida como feijão-macuco, feijão-batata, feijão-de-batata, feijão-jacatupé, linguiça-vegetal, Yeticopé e yacatupé (tupi); patate-cochon , mexikanische yams-bohne. Planta trepadeira, com grandes túberas subterrâneas e comestíveis e do qual se produz um amido finíssimo semelhante a araruta, suas folhas são forrageiras, flores alvas e vagens achatadas, pode atingir até três metros de altura quando tutorada.

Foi sempre utilizada como fonte de alimentos para muitos grupos indígenas, especialmente aqueles que habitam na Amazônia ocidental

Parte utilizada: túbera.

Origem: nativa da América Central e do norte da América do Sul.

Princípios Ativos: água 87,1%; proteína 1,12%; matéria graxa 0.05%; açúcares 5,6%; fibra 0,78%, sais minerais 0,32%, jacatupina.

Propriedades medicinais: antitussígena, diurética.

Indicações: vias urinárias, febre, nefrite.

Contraindicações/cuidados: as sementes são tóxicas, devido a grande concentração de rotenona. Essa planta é tão tóxica que serve para a fabricação de inseticidas e raticida.

Os índios utilizavam a rotenona do feijão macuco, assim como a rotenona encontrada no cipó conhecido como timbó, para intoxicar peixes em igarapés, lagos e outros pequenos corpos d’água, isso facilitava a pratica da pesca.

Modo de usar:

As raízes consumidas cruas ou cozidas, temperada com sal e pimenta.

Se raladas e misturadas ao leite, servem para amaciar as mãos.

Se defumadas conservam-se por um ano.



Flor do Jacatupe

Bibliografia:

_Ciência hoje: revista de divulgação científica da Sociedade Brasileira para o Progresso da Cîencia, Edições 70-78 - A Sociedade, 1991

GANSALVES, Paulo Eiró., Livro Dos Alimentos - Nova Edição, Revista e Ampliada, MG Editores, 1992.

SACKS, Oliver., Diário de Oaxaca - Editora Companhia das Letras, 2012

 

Dieta  de 21 dias