Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

LABAÇA CRESPA

Rumex crispus

Rumex é uma palavra latina antiga que significa “lança”, recorrendo a forma das folhas. Crispus quer dizer “ondulado, também recorrendo ao formato da folha.

Pertence a família Polygonaceae, é uma erva daninha e planta comum das beiras das estradas, tem uma raiz profunda que retira do solo ferro e outros minerais, apresentando-os numa forma de fácil absorção. A raiz é prescrita em caso de anemia com deficiência de ferro, embora o seu uso principal seja para intestinos preguiçosos e obstipação leve.

A Rumex (Sorrel), é um gênero de cerca de 200 espécies de ervas anuais, bienais e perenes. Inclui as espécies medicinais Rumex crispus, Rumex occidentalis, Rumex venosus, Rumex obtusifolius e Rumex sangineus.

Indicações : acne, anemia, câncer, constipação, convalescença, desintoxicação por metais pesados, doenças venéreas, eczema, enfisema, estafilococo, glândulas inchadas, icterícia, laringite, lombrigas, psoríase, sarna, urticárias.

A Rumex é utilizada na medicina popular para melhorar a função dos rins, fígado, glândulas linfáticas e intestinos, ao mesmo tempo que ajuda no processo de limpeza natural do corpo. Foi usada para ajudar o corpo a eliminar poluentes, inclusive metais pesados, como o arsênico.

A Rumex ajuda a eliminar o excesso de ferro armazenado no figado, enquanto o deixa mais disponível para o resto do corpo. A folha é usada esmagada para urtigas. Gargarejo para laringites. Pomadas, cataplasma ou compressa para eczema, urticárias, sarna e lombriga.

Propriedades Medicinais: adstringente, antibacteriano, colagogo, diurético, febrífugo, laxante, purgante, tônico de sangue.

Propriedades medicinais : É constituída de glicosídeos de antraquinona, taninos , resinas, oxalatos e ferro. As folhas possuem altas concentrações de oxalato, que podem prejudicar a absorção de cálcio e potencialmente agravar pedras no rim se usadas em excesso.

Interação farmacológica

Problemas dermatológicos crônicos : E melhor usar a labaça-crespa com outras ervas do que sozinha. conjuga-se bem com outros "depurativos do sangue"

- como a bardaria (Arctium lappa)

- para favorecer a evacuação do intestino e a desintoxicação do ligado. Usa-se em problemas de toxicidade crônica, incluindo distúrbios dermatológicos como acne, eczema e psoríase. Muitas vezes, o melhor é tomar quantidades pequenas durante vários meses, promovendo uma desintoxicação gradual mas eficaz. Também podem beneficiar da raiz outras doenças crônicas ligadas a uma má eliminação de resíduos, como a tumefação das glândulas e infecções na garganta.

Outros usos : A labaça-crespa conjuga-se bem com a urtiga (Urtica dioica] em problemas alérgicos e reumáticos. Ambas contêm também níveis consideráveis de ferro e podem ser usadas como suplemento natural em casos ligeiros de anemia.


Dieta  de 21 dias