Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

BENEFÍCIOS MEDICINAIS DA LARANJA DA TERRA.

Cítrus aurantium

Essa variedade de laranjan, originaria da Ásia, é muito resistênte e de alto valor nutricional, possui propriedades calmantes e é uma rica fonte de sinefrina.

Descrição Botânica: Planta da família das rutaceae, também conhecida como laranja cavalo, laranja amarga, laranja da China e laranja de Servilha. Árvore de até 10m de altura Folhas folhas longas, escuras e grossas; Sua flor tem de 5 a 8 pétalas e são brancas e fragrantes: As membranas e a polpa da fruta são amargas e azedas. A árvore é muito resistente a doenças quando comparada com outras árvores do gênero Citrus.

Parte utilizada: Flor, Fruto, Semente e Casca.

Habitat: Nativa do nordeste da índia.

História: As laranjas amargas foram trazidas para as Américas pelos Espanhóis e Portugueses no século 16: Na medicina popular chinesa, a laranja-da-terra é usada como tônico e como carminativo para tratar a dispepsia.

Propriedades Medicinais: sedativa, tranquilizante, anti-inflamatória, antibateriana, fungicida, fonte de sinefrina, hipocolesterolêmica, colagoga, antiespasmódica, anticancerígena, emoliente, tônica, eupéptica e estimulante vascular, eupéptica, anticonvulsiva.

Princípios ativos: Folha: O óleo essencial: d-limoneno, mirceno, canfeno, pineno, ocimeme, p-cimeno; Alcoóis: linalool. nerol, antranilato metílico, terpineol, farnesol, neroidol. octanol: flavonoides glicosideos: hesperidina, neodiosmina, naringina, neohesperidina, eriocitrina Aldeídos: decanol, nonanal, dodecanal, citrone)al. neral. acetaldeido, formaldeido: Cetonas: carvona, aionona, jasmona: Acidos livres: octadecadienólco, pelargónico, cinamômico, acético: Esteres: acetato linalil, pelargonato de decil, acetato octil, acetato geranil; Cumarinas: ostol. aurapteno!; Tetranotriterpenoides: limonina: Flor: O óleo essencial: monoterpenos - limoneno; Alcoois: linalool. neroL antranilato metílico: flavonoides glicosideos; Outros componentes: sinefrina, 5,8-epidioxiergosta-6,22-dien-3 (301, adenosina, asparagina, tirosine, valina, isoleucina. alanina, l'3-sitosterol. e (3-daucosterol: Fruta: Octopamina. sinefrina (componente prinCipal) e tiramina: Flavanonas: neoeriocitrina, narirutlna, naringina. hespendina, neohesperidina, naringenina e hesperetina; Sementes: 17 B-D-glucopiranosídeos de limonina, obacunona. desacetilnomilina, nomilina, ácido desacetilnomilínico, ácido nomilínico. ácido Isolimônico, ichangin e ácido 19-hidroxideacetinomilinico: Casca: Óleo essencial: monoterpenos: limoneno flavonoides: tangeretina, nobiletina, sinesetina, auranetina. rutina: flavonoides amargos: naringosídeo, neohesperidos:deo, furanocumarinas: meranzina: nobiletina: flavonoides glicosídeos: hesperidina, neohesperidina, naringina, narirutina, roifolina: Sais minerais: Pectina: Acidos orgânicos: cítrico, málico: Vitaminas: A, B1, C: Pigmentos carotenóides' citraurina, violaxantina, criptoxantina: Cumannas da laranla-da-terra: 8- (1-B-D-glucopiranos loxi-1-metrletil) -8.9 desidro-2H-furo- [2,3-h] - 1-benzopirano-2-ona e 8- (3-B-D-glucopiranosiloxi-2-hidroxi-3-metllbutil) -7 metoxi-2H-1-benzopirano-2-ona: Outros compostos' 6,7-desidroxibergamotin e bergapteno.

Laranja da Terra, frutos maduros.

Contraindicações: Nenhuma contraindicação foi identificada na literatura consultada

Posologia: A quantidade de sinefrina em produtos da laranja amarga é bastante variável. Um artigo de revisão recomenda uma dose de 32 mg ao dia de sinefrina no tratamento da obesidade

Interação medicamentosa: A laranja amarga pode interagir com várias drogas pois inibe a enzima intestinal CYP3A4 e o processo de eliminação intestinal (pela p-glicoproteína) no intestino delgado: Em um estudo, 11 voluntários saudáveis tomaram 30mg de dextrometorfan com 200ml de suco de laranja-da-terra. Comparado com água, o suco aumentou a disponibilidade biológica do dextrometorfan de 0.1 a 0.46. Em um estudo cruzado e randomizado 10 voluntários saudáveis ingeriram tabletes de liberação prolongada de 10mg de felodipina com 240mL de suco de laranja da terra. O consumo do suco juntamente com o medicamento, aumentou a área em baixo da curva de concentração plasmática e também aumentou a concentração plasmática máxima do felodipine de 61%, quando tomado com água, para 76°'0 quando tomado com suco. Em um estudo cruzado para analisar outros usos do individuais, 13 voluntários saudáveis receberam 800mg de cada 8 horas por 1 dia e 800mg como única dose na manhã seguinte com 240mL da água ou do suco de laranja de Sevilha. Comparado com a água. ingestão do indinavir com suco de laranja prolongou o tempo necessário para atingir 50~0 do pico de concentração plasmática do indinavir (de 1.25 a 1.87 horas). Esta mudança não é provável ser clinicamente importante.

Efeitos colaterais: Vários artigos relatam casos onde o uso do extrato do C. aurantlum acarretou o desenvolvimento de problemas cardíacos: Um homem de 38 anos de idade sofreu um derrame isquêmico após ter tomado 1 a 2 cápsulas por o dia de um suplemento dietético que contém sinefrina por 1 semana. O paciente não tomava nenhuma medicação, não tinha histórico médico adverso ou fator de risco aterosclerótico. Outras causas possíveis que pudessem resultar num derrame isquêmico provaram ser normais: Uma mulher adulta de 52 anos desenvolveu taquicardia Ininterrupta após ter consumido uma dose diária de 500 mg de extrato laranja amarga (30 mg ao dia de sinefrina). Esta paciênte tem tomado 50mcg! dia de tiroxina para o hipotiroidismo por aproximadamente 10 anos: Outro relato documentou o caso de uma mulher de 55 anos com um infarto agudo da parede lateral do miocárdio. A paciente tomava um suplemento dietético que continha 300mg de C. aurantium por 1 ano, porém ela apresentava vários fatores de risco para o Infarte do miocárdio.



Farmacologia: Na Europa, as flores e o óleo da laranja-da-terra têm sido usados como sedativo e como remédio profilático para problemas intestinais, condições nervosas, gota. dor de garganta e insônia. A planta tem sido usada para tratar choque tóxico e anafilático, problemas do coração, exaustão cardíaca, e câncer: Esta planta é muito utilizada na medicina popular brasileira como um anticonvulsivo e para tratar a ansiedade e a insônia: O óleo da laranja-da-terra, é usado extensivamente para dar sabor à produtos alimentícios, bebidas alcoólicas e não alcoólicas, sobremesas congeladas, doces, bolos, gelatinas e pudins. carne e derivados de carne, assim como condimentos e molhos No dia 11 de Abril de 2004, a Agência de Medicamentos e Alimentos Americana (FDA) proibiu a venda de suplementos dietéticos que contenham o alcaloide efedrina devido a falta de segurança no consumo da substância efedra. A proibição foi revogada por um juiz federal no dia t 4 de abril de 2005 para produtos que contenham 10 mg de efedra ou menos. Como consequência da proibição. muitos fabricantes mudaram as formulações de seus suplementos dietéticos para eliminar o efedra, substituído-o pelo extrato de laranja amarga. O extrato contém uma substância simpatomimética similar. A segurança e a eficácia destas formulações estão sendo cuidadosamente monitoradas: A sua maioria, os estudos farmacológicos foram conduzidos usando sinefrina sintética e racémica o que não é estritamente comparável: A amina simpatomimética da sinefrina ativa a termogênese através dos receptores adrenérgicos alfa e beta A C. aurantium contém aminas estimulantes como a sinefrina, octopamina. e o N-metiltiramma. Estas aminas podem causar o vasoconstrição, e também aumentar o batimento cardíaco e a pressão sanguínea. A laranja-da-terra é citada no Seventh Report of the Joint National Committee of Prevention, Detection Evaluation, and Treatment of High Blood Pressure. como uma causa da hipertensão resistente. Estudos em animais mostram possível toxicidade cardíaca. Em cães a N-metiltiramina aumenta a resistência renal e cerebral e em ratos a sinefrina induz hipotensão portai dependendo da dose administrada e arritmias ventriculares com aumento do complexo ORS: No tratamento da obesidade! perda de peso: Resultados de estudos clínicos: Um estudo randomizado, duplo-cego. controlado com placebo e com duração de 6 semanas, investigou a eficiência da sinefrina na perda de peso em 23 pacientes com índice de massa corporal com mais de 25 kglm2. Os pacientes foram distribuídos em 3 grupos: foi grupo A recebeu uma mistura contendo 975mg de extrato de laranja-da-terra (alcaloide de sinefrina. 6%). 900mg de Hipérico (hipericina, 3%) e 528mg de cafeína; grupo B recebeu um placebo de maltodextrina e o grupo C foi um controle sem placebo. Todos os pacientes completaram um programa de exercícios de 3 dias! semana e receberam a assistência nutricional usando a dieta "Etapa-Um" da Associação Americana do Coração. Os parâmetros foram medidos no início do tratamento, após 3 semanas e 6 semanas. Parâmetros incluíram mudanças de peso, porcentagem de gordura corporal, índice de massa gorda, e metabolismo básico. Os pacientes no grupo A perderam uma média de 1.4 kg (P< 0.05); pacientes no grupo B perderam uma média de 0.9 kg (P< 0.1); e pacientes no grupo C perderam uma média de 0.4 kg (não significante). Nenhuma mudança significativa foi observada na atividade cardiovascular (exemplo: mudanças das análises laboratoriais, pressão sanguínea, frequência cardíaca, ou eletrocardiogramas). Os revisores deste estudo comentaram que embora os autores tenham analisado estatisticamente as mudanças de peso dentro dos grupos. eles não analisaram uma comparação entre os grupos. Nenhum dado foi apresentado sobre mudanças da atividade cardiovascular ou sobre reações adversas: Mudanças na pressão sanguínea e pulso foram examinadas em 12 pacientes em um estudo cruzado, randomizado e controlado com placebo. Os pacientes consumiram o suco da laranja da- terra (contendo 13 a 14mg de sinefrina) ou água como placebo. A pressão sanguínea e o pulso foram medidos de hora em hora por 5 horas nos pacientes que consumiram o suco. Os autores concluíram que o suco não teve nenhum efeito na pressão sanguínea ou pulso; Mudanças na atividade cardiovascular pressão sistólica e diastólica, frequência cardíaca, foram examinadas em 10 pacientes em um estudo cruzado, randomlzado. duplo-cego e controlado com placebo Dois suplementos comerciais foram testados nos pacientes, com 1 semana de intervalo entre os tratamentos: (1) apenas C. aurantium (45mg de sinefrina); (2) um suplemento contendo múltiplas drogas (porém contendo apenas 5.5mg de sinefrina). Pacientes que usaram o suplemento contendo múltiplas drogas experimentaram mudanças clínicas e estatisticamente significativas na atividade cardiovascular. Porém os autores concluíram que os efeitos não são devidos a laranja-da-terra porque uma dose de sinefrina 8 vezes maior não teve nenhum efeito na pressão sanguínea. Os autores concluíram que este efeito deve ser atribuído a outras drogas estimulantes presentes no suplemento: Atividade Ansiolítica: resultados de estudos em animais - Em ratos o efeito ansiolítico e sedativo de 0.5 a 1 g/kg de extrato de C.aurantium foi comparado com 10 mg/kg de clordiazepóxido. 400 mg/kg de ácido valproico, ou 1.2 mg/kg de diazepam. Os ratos receberam uma dose oral de 1 g/kg do extrato Após 30 minutos, cada animal foi injetado com 40 mg kg de pentobarbital de sódio. Os efeitos sedativos foram medidos em segundos pelo tempo de indução (intervalo entre injeção e perda de reflexo de erguerse) e pela duração do sono (intervalo entre a perda do reflexo e o despertar). O extrato aumentou significativamente o efeito hipnótico do pentobarbital (P< 0.05). Diversos testes foram usados para examinar o efeito ansiolítico do extrato: porém apenas o extrato usado no teste de labirinto elevado produziu um efeito ansiolítico (P< 0.05)

Dieta  de 21 dias