Plantas Que Curam - O seu guia de Plantas Medicinais na Internet

MELÃO DE SÃO CAETANO

Momordica charantia

Descrição : Erva da família das cucurbitaceae, tambêm conhecida como erva de São Caetano, fruto de cobra, erva das lavadeira e melãozinho. Trata-se de um cipó herbácio, de cheiro desagradável, caule sulcado e fino, ramos quadrangulares, folhas palmatífidas, e alternas, flores amarelo-pálidas ou brancas em cachos ou corimbos, solitárias masculino e femininas, e fruto abrindo-se em três válvulas espinhosas, cor-de-ouro, tendo, no interior, as sementes cobertas de um arilo vermelho de 1.6 à 3 centímentros de comprimento. O fruto é uma cápsula coberta de protuberâncias moles, de constência carnosa, amarelo-avermelhado quando maduros. As semente são comidas pelas crianças e muito procuradas pelos passarinhos e crianças. Suas folhas clareiam a roupa e tiram machas. Todo o fruto é comestível quando novo.

Origem : Originária da África

Habitat : Encontra-se em áreas tropicais da amazônia, África, Ásia e Caribe. Aparece em quase todo o Brasil em terrenos abandonados.

História : Foi largamente utilizado pela medicina popular e pelas tribos do amazônas. Principalmente pelas lavadeiras para clarear roupas e tirar manchas.

Parte utilizada: Frutos, hastes, folhas e arilo das sementes.

Propriedades : antileucorréico, anticatarral, anti-reumático, bactericida, antivirótico, anticancerígeno, antileucêmico, antitumoral, hipoglecimiante, anti-inflamatório nas colites, purgativo nas constispações com fezes ressecadas, vermífugo e anti-parasitário externo.

Indicações : Inflamações hepáticas, diabetes, cólicas abdominais, problemas de pele, queimaduras com leucorréias purulentas, furúnculos e hemorróidas, triglicerídios, prisão de ventre, tosse, catarro amarelo, febres intermitentes, gripes, faringites como febrífico, edemas inflamatórios como diurético, Eczemas, nódulos, abcessos como resolutivos e antiinflamatórios, oligomenorréias e dismenorréias, como enemagogo e antiespasmódico. Dores articulares em geral como analgésico.

Principios Ativo : momordicina, momordicripina e ácido momórdico, alcalóides, triterpenos, proteínas, curcubitacina B, esteróides, saponinas esterodais, charantina, peptídeos, insulino-sememlhantes, componentes ativos ativos, charantina, charina, criptoxantina, curcubitacina, curcubitano, cicloartenol, diosgenina, ácido gentisico, goyalglicosídeos, gayasaponinas, inibidorera de guanilato-ciclase, gipsoláurico, ácido linoleico, ácido linolenico, momocharasideo, momocharina, momordenol, multitiflorenol, ácido oxálico, pentedecanos, peptídeos, ácido petroselínico, ácido rosmarínico, rubixantina, spinasterol, glicosídeos esterodais, estigmatadióis, estigmasterol, taraxerol, trehalose, inibidores da tripsina, uracil, vacina, v-insulina, verbascosídeos, zeatina-ribosídeo, zeaxantina e zeinoxantina,

Modo de Usar : infusão de folhas secas, para leucorréia e menstruações difíceis, 10 gramas por litro de água. Sumo - feito com folhas e misturado com óleo de amêndoas doces, é usado em queimaduras. decocção para diabétes - 5 gramas de folha fresca picadas em 1/4 de litro de água fria. Aquecer e ferver por 1 minuto. Deixar em repouso por 10 minutos e coar. Tomar 1/2 copo pela manhã e 1/2 copo antes do jantar. infusão - 20 gramas de folhas e flores em 1 litro de água. Tomar 1/2 copo de manhã e 1/2 antes dom jantar. Pomada - raspar e misturar a polpa dos frutos com vaselina, para provocar a supuração nos casos de tumores, furúnculos. - frutos cozidos: vomitivos e antivenéreos. - frutos maduros em cataplasmas: hemostáticos. - suco das folhas: emético, purgante, mordida de serpentes e afecções biliares. - raiz: adstringente. - decocção das folhas: infecções da pele. - infusão das folhas (forte): escabiose, picadas de insetos, malária, pruridos e úlceras malignas - infusão da planta inteira: resfriado - folhas e frutos: gogo das aves - infusão de 10 g de folhas secas por litro de água: leucorréia, menstruações difíceis e cólicas causadas por vermes. - infusão do fruto: hemorróidas. - ungüento: arilo contuso misturado com vaselina: tumores, furúnculos e carbúnculos. - suco: machucar as folhas verdes em óleo de amêndoas doces: queimadura. - suco puro das folhas: sarna.

Contra-indicações/cuidados: gestantes, nutrizes e crianças; as sementes contém compostos tóxicos e teratogênicos, não devendo ser ingeridas em grandes quantidades, pois tambêm é abortivo e inibidor sa síntese proteíca. Tambêm é contra indiciada para pessoas que querem ter filhos. Não administrar em diabéticos, pois tem efeitos hipoglicêmicos e portadores de diarréia crônica, pois aumenta o número de evacuações e provoca a diarréia pastosa. As sementes têm compostos tóxicos e não devem ser ingeridas em grandes quantidades. Causa alterações nos testes laboratoriais do sangue - glicosúria falso-negativo em exames que usem fitas oxididantes-reagentes e reagentes de Benedict; embora não tenha efeitos fobre as leveduras e fungos; seu uso prilongado pode prejudicar a flora bacteriana fisiológica levando ao crescimento de certas leveduras oportunistas, como a cândida.

Efeitos colaterais: causa queda drástica da taxa de glicose sangüínea (hipoglicemia) em poucas horas; pode ter ação teratogênica; in vitro, é um inibidor da síntese protéica; pode causar aborto.

Superdosagem : alguns autores afirmam que meia colherada do sumo do fruto maduro pode matar um bezerro grande em 16 horas, depois de apresentar vômitos e diarréia; constatou-se lesões testiculares em cães e alterações sobre os parâmetros sangüineos em suínos.

Posologia :

Adultos - 3 a 6 ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluídos em água, em uso internos - para todas as indiciações; 3 gramas de planta inteira seca ou 6 gramas de planta inteira fresca ( 1 colher de sobremesa para cada xícara de água ) em decocto ou infuso até 3 vezes ao dia, com interevalos menores que 12 horas em uso interno para todas as indicações; Cápsulas : 1000 mg duas vezes ao dia em todas as indicações. Os frutos maduros vaporizados e transformados em polpa podem ser aplicados sobre e pele em emplastos; O suco de 1 ou 2 frutos pode ser usado em todas as queixas gastrointestinais, nas parasitoses, para reduzir o colesterol e triglicerídeos, 2 vezes ao dia.

Crianças - tomar de 1/6 a 1/2 doses de acordo com a idade.

Veja tambêm em nosso site:

BANHO DE ASSENTO DO MELÃO DE SÃO CAETANO

CHÁ DAS FOLHAS E RAMOS DO MELÃO DE SÃO CAETANO

Artigos sobre o Melão de São Caetano em outros sites :

Melão-de-são-caetano (Momordica charantia L.), uma planta com potencial para a economia agrária e saúde alternativa, Marcelo Rigotti, Escola superiro de agricultura Luiz Queiróz, Universidade de São Paulo.

Melão de São Caetano
Semente do Melão de São Caetano Flor do Melão de São Caetano Flor do Melão de São CAetano

 

Farmacologia : Um dos princípios ativos demonstrou clinicamente ser capazde inibir a guanilato-ciclase, que parece estar associada ao aparecimento da psoríase e está ligada ao crescimento de células leucêmicas e cancerosas. A momordina demonstrou clinicamenteatividade anticancerosa contra o linfoma de Hodgkins em animais. Outras proteínas - a e B-rnomorcharina, cucurbitacina B - foram testadas por seus prováveis efeitos anticanceroso. Um análogo químico destas proteínas do melão de são caetano foi desenvolvido, patenteado e denominado "MAP-30"; seus criadores relatam que ele é capaz de inibir o crescimento de tumores da próstata. Duas dessas proteínas - a e b momorcharina, também foram descritas como inibidoras do vírus HIV in vitro. Num estudo, as células infectadas com o vírus H IV tratadas com a e B-momorcharina mostraram perda quase total do antígeno do vírus, enquanto as células normais não foram afetadas. Os inventores do ''MAP-30" registraram outra patente que estabelece "útil para tratamento de tumores e infecções por HIV. Outro estudo clínico mostrou que a atividade anliviral do ''MAP·30" também estava relacionada com o vírus do herpes in vitro (Lee -Huang, S. e cols., 1995 e Bourinbaiar, AS. e cols., 1996); Em vários estudos, pelo menos 3 grupos diferentes de princípios ativos encontrados em todas as partes do melão de são caetano demonstraram clinicamente propriedades hipoglicemiantes e outras ações benéficas contra o diabetes mellitus. Estes princípios incluem uma mistura de saponinas esteroidais (charantinas), peptídeos insulino­semelhantes e alcalóides. Efeito hipoglicémico foi maior na fruta, onde estes compostos são mais abundantes; Até agora, perto de 100 estudos in vivo demonstraram o efeito hipoglicemiante deste fruto; Também se demonstrou sua capacidade de aumentar a absorção de glicose , aumentar a liberação de insulina e potencializar seu efeito. Em outro estudo in vivo O fruto e as sementes mostraram redução do colesterol total. Num estudo, os níveis de colesterol e triglicerídios elevados em ratos diabéticos retornaram a níveis normais após 10 semanas de tratamento; Inúmeros estudos in vivo já demonstraram a antividade antitumoral da planta inteira - extrato aquoso bloqueando o crescimento de carcinoma prostático em ratos; extrato aquoso quente inibindo o crescimento de tumores mamários em ratas. Outros estudos in vitro também provaram a atividade anticancerosa e antileucêmica contra várias linhagens celulares, incluindo câncer de fígado, leucemia humana, mela-noma e sarcomas sólidos; Tanto a planta como muitos de seus princípios ativos isolados foram documenta­dos com atividade antiviral in vitro contra os seguintes vírus: Epstein-Barr, herpes e HIVs. Em um estudo in vivo o extrato da folha aumentou a resistência a infecções e teve efeito imunoestimulante em animais e humanos, aumentando a produção de interteron e atividade mortífera natural sobre as células; Em adição, extratos das folhas mostraram atividade antimicrobiana de largo espectro, in vitro contra E. coli, Staphylococcus, Pseudomonas, Salmonella, Strepto-bacillus e Streptococcus. Um extrato da planta inteira mostrou atividade antiprotozoárica contra Entamoeba histolytica. O fruto e seu suco mostraram as mesmas propriedades antibacterianas e num outro estudo o extrato do fruto mostrou atividade contra a Helicobacter pylori; Vários estudos clínicos in vivo demonstraram a toxidade relativamente baixa de todas as partes da planta quando ingeridas oralmente. Entretanto, a toxidade e até a morte de cobaias acontece com o uso intravenoso. Alguns estudos sugerem os extratos do fruto e a folha como seguros na gravidez se ingeridos oralmente. As sementes são abortivas para cobaias e as raízessão estimulantes uterinos em cobaias; O fruto e a folha têm efeito antifertilidade invivo em fêmeas, não afetando a produção de esperma negativamente.

Interação Medicamentosa : Potencializa e clorpropamida, insuiane drogas antidiabéticas e drogas redutoras do coleterol; evitar o uso concomitante; Potencializa o efeito de plantas laxativas e depletoras de potássio.

 





Ajude Plantas Que Curam a difundir a saúde pela natureza, divulgando nosso site nas redes sociais.

Nosso site é um serviço oferecido de forma gratuita, mais se caso você desejar contribuir com nosso trabalho, pode fazer uma doação pelo sistema pagseguro do Universo On-line.