Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

MELISSA OU ERVA CIDREIRA

Melissa Oficinallis

Descrição : Da família das Labiadas, também conhecida como Erva Cidreira, chá da frança, chá de tabuleiro, cidrilha, citronela, citronela menor, erva cidreira europeia, erva luisa, cidreira verdadeira, limonete, meliteia, melissa romana, melissa verdadeira, salva do brasil.

Trata-se de uma planta perene de folhas verde claro em forma de coração e de flores amarelo-claro. Semeia-se de setembro a janeiro em solos rico em matéria orgânica. Planta com caule ramificado a partir da base, formando touceiras. esses são quadrangulares e na ocasião da floração,se ramificam acentuadamente. As folhas de um verde intenso na parte inferior, são pecioladas, opostas,, ovais, demargens crenadas e com nervuras bem salientes. As flores se formam nas axilas das folhas,, são inicialmente brancas e amarelas, e quando adultas permanecem brancas rosadas ou brancas manchadas de rosa. O fruto é composto de quatro aquênios oblongos ou ovais, castanhos, lisos e sem pelos. Quando ainda jovem, a planta tosa emana um suave e agradável odor de limão, e quando esmagada esse odor fica mais forte. O sabor é adocicado e um pouco amargo. A planta idosa exala um odor que já não é muito agradável. Sua propagação é feita por sementes, divisão de touceiras e por estacas. Antes do plantio por sementes, devem ficar 24 horas mergulhadas em água morna. A semeadura deve ser feita na primavera, em regiões de climas amenos e sem invernos rigorosos. As folhas devem ser cortadas, sem o caule, na primavera e as sumidades floridas, no início do verão. Prefere solos férteis, ricos em matéria orgânica, profundos, argilosos arenosos, levemente úmidos e com bastante luz solar, mas sem calor excessivo. De preferência, o cultivo deve ser feito em terrenos próximos a matas,a arroios e rios, em locais frescos e sombreados.

Parte utilizada: Parte aérea, óleo essencial.

Plantio : Multiplicação: por sementes e estacas;

Cultivo: Em solos secos, arejados e férteis. O plantio pode ser feito o ano todo mas, de preferência na primavera. Exige irrigação nos períodos secos.

Colheita: Folhas e galhos tenros, na época da floração principalmente.

Origem : Europa, na Ásia e no norte da África. No Brasil é cultivada em várias regiões.

Habitat: Nativa da Europa meridional (região mediterrânea) e do oeste asiático, espalhou-se pela Europa e outras regiões do mundo.

História: A erva-cidreira já era utilizada como uma erva medicinal pelo naturalista romano Plínio, o naturalista grego Dioscórides, e pelos herbalistas da idade média Paracelso e John Gerard; O nome 'melissa' corresponde à palavra grega para 'abelha'.

Modo de conservar : As folhas e os ramos florais devem ser secos à sombra e em local ventilado e sem umidade. Armazenar em vidros de porcelana ou cascos de papel.

Propriedades : Digestiva e Sedativa, antiespasmódico, calmante, digestiva.

Indicações : Combate gases, cólicas intestinais, facilita menstruação, combate caxumba e é boa para a digestão, hipertireoidismo (doença de Graves) e agente tópico para herpes labial.

Princípios ativos: Óleo essencial: monoterpenos e sesquilerpenos: geraniol, nerol, beta-alriofileno, óxido de beta-alrio-fileno, linalol, citronelol, nerol e geraniol, citronelato de metila; Flavonoides; Compostos triterpénicos: oleanano e ursano; Ácidos orgânicos: ácido cafeico e derivados diméricos e trimétricos, lrospérmico, rosmarinico e melítricos A e B; Mucilagens; Princípios amargos; Resinas.

Farmacologia: As folhas da erva-cidreira contêm 0,2 a 0,3% de um óleo essencial com um aroma parecido com limão, similar ao capim-limão. O composto R-(+)-citronelato de metila é caraterístico do óleo de erva-cidreira e possibilita a distinção entre este óleo e o óleo do capim-limão; A melissa tem atividade contra vários vírus, incluindo herpes simplex (HSV) e HIV-1. Essa atividade foi atribuída ao ácido cafeico e aos seus derivados, e aos taninos ; A ação benéfica da erva-cidreira na doença de Graves foi atribuída aos oligômeros do ácido cafeico, assim também como ácido rosmarínico e ácido lijospérmico. Acredita-se que a autoxidação dos derivados do ácido cafeico para ortoquinonas seja importante para esta atividade biológica; O ácido rosmarinico também foi demonstrado inibir as etapas das convertases C3 e C5 na cascata do sistema complemento. Esta ação pode ter uma função na atividade anti-inflamatória do extrato de erva-cidreira, pois esta ação foi observada in vivo e in vitra, em ratos que receberam este componente químico por via oral; O uso medicinal tradicional da erva cidreira é como sedativo e antiespasmódico. Previamente, essa atividade foi atribuída ao óleo volátil. O extrato hidroalcoólico liofilizado, que não contém os componentes do óleo volátil, teve uma atividade sedativa em vários modelos de camundongos quando foi administrado na região intraperitonial. Este extrato também se mostrou ativo em testes de dor por injeção de ácido acético, mas não em testes de dor por prato quente. O óleo volátil da planta teve atividade muito mais fraca ou mostrou-se inativo nos mesmos testes; Ensaios clínicos de um creme de extrato de erva-cidreira mostrou evidência de atividade antiviral contra lesões labiais provocadas pelo vírus herpes simples (HSV); Melissa também foi utilizada no tratamento da doença de Graves, doença em que a tireoide é anormalmente ativada pela imunoglobulina estimulante da tireoide (TSI); Extratos de erva-cidreira seco e congelado sequestraram a tirotropina, prevenindo que a tirotropina e a TSI na doença de Graves ativassem os seus respectivos receptores. Porém o extrato de erva-cidreira mostrou p0ssuir menos potência que os extratos de Lithospermum olficinales, Lycopus virginicus, e Lycopus europaeus. Nenhum estudo clínico foi realizado para investigar a ação sedativa, antiviral ou contra a doença de Graves da erva cidreira em seres humanos.

Contraindicações/cuidados: pessoas com hipersensibilidade à planta.

Efeitos colaterais: diminuição da pulsação e entorpecimento.

Posologia: Extrato bruto: 1 ,5 a 4,5 mg/dia; Uma preparação padronizada do extrato de erva-cidreira comercial disponível nos EE.UU. contém 80 mg do extrato das folhas de Melissa olficinalis e 160 mg do extrato da raiz de valeriana, recomendado 2 ou 3 vezes ao dia como sonífero. Creme: 1 % do extrato para uso tópico em herpes; 2g de folhas e ramos frescos ou 1 g de folhas e ramos secos (1 colher de sobremesa para cada xícara de água) em infuso ou decocto para uso interno em dores de cabeça, cólicas diversas, dispepsia, ansiedade e nervosismo; Tintura composta com alfazema e camomila para aplicação tópica na pele do rosto, especialmente em peles cansadas; 30g de planta fresca ou 3 golas de óleo essencial na água do banho relaxante, deve secar na pele; Compressas com folhas vaporizadas diretamente s0bre os mamilos de lactentes evitam e tratam entupimentos e promovem a lactação.

Modo de usar:

- infusão de 25 a 50 g de folhas verdes em um litro de água. Tomar 3 a 4 xícaras ao dia; - infusão de 1 xícara das de cafezinho de folhas verdes picadas para ½ litro de água. Tomar 1 xícara das de chá 4 vezes ao dia;

- infusão de 2 a 4 g de folhas secas três vezes ao dia; - infusão de 3 colheres (chá) de folhas secas em 1 xícara de água (sedante);

- folhas frescas: aplicar sobre os olhos, para inflamações;

- lavagens intestinais com o infuso (tenesmo e diarreia de sangue); - bochechos: dores de dente; - suco: mistura-se um pouco de sal às folhas contusas (caxumba);

- cataplasma : . das folhas frescas contusas, aplica-se sobre o ventre, para dores de estômago, fígado e intestino; para picadas de insetos e entupimento das mamas;

- decocto das folhas a 3% - ação calmante em dores;

- extrato fluido em álcool 45%: 2 a 4 ml três vezes ao dia;

- tintura 1:5 em álcool 45% 2 a 6 ml três vezes ao dia; - tintura mãe: 40 a 50 gotas, três vezes ao dia; - alcoolato: 2 a 5 g ao dia;

- extrato alcoólico: 1,5 a 2,0 g ao dia; - macerado: 3 a 5 gs de erva em 100 ml de vinho branco por 5 dias. Tomar um cálice pequeno 2 ou 3 vezes ao dia: baixar febre de gripe; - licor caseiro: 2 mãos cheias de folha de melissa amassadas, 1 litro de vodca, 3/4 xícara de mel, casca ralada de um limão. Agite bem e deixe descansar uma semana. Coe, engarrafe e espere três semanas antes de usar; - aromatizante em saladas de hortaliças e frutas, omelete, molhos, carnes, etc.

Tônico para a pele cansada do rosto : em um recipiente, coloque 3 colheres de sopa de folhas e ramos florais, 1 colher de sopa de alfazema e 1 colher de sopa de camomila e adicione 1 xícara de chá de álcool a 50%. Misture bem. Deixe em maceração por 10 dias, em recipiente bem fechado e coe. Aplique com um chumaço de algodão, antes de dormir ou quando estiver com a aparência cansada.

Banho relaxante : coloque 5 colheres de sopa de folhas e ramos florais picados em 1/2 litro de água em fervura. Desligue o fogo, espere amornar e coe. Adicione a água morna do banho. Faça banho de imersão por 15 minutos, antes de dormir. Após o banho não enxugue, coloque somente uma toalha de proteção ao corpo.

Aromaterapia : Relaxante, ansiedade e insônia. Hipotensora.

Melissa

Dieta  de 21 dias