Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

NIM INDIANO

Azadirachta indica

Natural da Índia é considerada uma árvore sagrada, conhecida como a farmácia local, por ser usada para várias enfermidades, inclusive a malária. No Brasil essa árvore está aclimatada e é considerada um bom repelente de insetos.

Descrição : Planta da família das Meliaceae, também conhecida como neem, nim, indiano, amargosa e amargoseira.

Árvore de grande porte, pode medir até 18m de altura. Ramos espalhados, dando forma a uma coroa larga. Tem crescimento rápido, em poucos anos atinge mais de 10m; Produz frutos entre 3 e 5 anos; No Nordeste brasileiro produz frutos 2 vezes por ano.

Desenvolve-se bem em regiões semiáridas, resistente à seca e suporta temperaturas elevadas, adapta-se a diferentes tipos de solos; A planta é geralmente encontrada por toda a índia e a regiões vizinhas, onde é frequentemente cultivada para fins comerciais; A Azadirachta indica é frequentemente confundida com a Melia azedarach L. (cinamomo, azedaraque, lilás-do-japão ou amargoseira).

Parte Utilizada : Raiz, casca e semente.

Habitat : Nativa da índia, encontra-se em vários países do sudeste asiático.

Seu uso está em expansão no mundo todo e já é encontrado no Brasil, com fama de repelente. Há exemplares na cidade de Petrópolis.

História : Na índia a árvore do nim é chamada "Farmácia local', todas as parte da árvore do nim são usadas na medicina tradicional da índia, Sri Lanka, Burma, Indochina, Java, e Tailândia. O caule, a casca da raiz e as frutas novas, são usados como tônico e adstringente e a casca do caule, no tratamento de a malária e doenças cutâneas. As folhas macias foram usadas no tratamento de parasitas, úlceras e doenças cardiovasculares, e também por suas ações pesticida e repelente de insetos. Os ramos jovens são usados como escova de dente nas regiões rurais da índia. A árvore produz uma madeira da alta qualidade e uma goma comercial.

Indicações e utilização

Inseticida; Repelente de insetos; Desintoxicante alimentar, alcoólico, medicamentoso e quimioterápico; Dentifrício: anti-inflamatório, asséptico e curativo na gengivite; Colutório em amigdalites; Dores musculares e articulares; Diabetes; Contraceptivo; Antiúlcera; Antissecretória; Fungicida.

Problemas de pele No Ocidente, a amargoseira usa-se muito como óleo, para aliviar erupções doridas c com prurido. Pode ser aplicada sobre pele irritada ou inflamada, como no eczema e na psoríase, e usada para tratar piolhos, sarna e problemas fúngicos, como a tinha. O óleo também pode ser aplicado como cataplasma em furúnculos, ajudando a extrair toxinas.

Uso pediátrico : O envenenamento severo de 13 crianças que receberam doses de 5 a 30ml do óleo de margosa (nim) foi relatado. A toxicidade foi caracterizada pela acidez metabólica, sonolência, convulsões, perda da consciência, fecoma. A morte ocorreu em 2 crianças, que exibiram sintomas similares àqueles da síndrome de Reye, com morte produzida por uma hepatoen-cefalopatia; O óleo de nim administrado aos ratos pode induzir danos mitocôndrias, resultando em um dano hepático similar. A toxina ainda não foi identificada, mas pode ser um ácido livre, monoinsaturado de longa cadeia ao qual bebés e crianças pequenas são particularmente vulneráveis.

Uso na gestação e na lactação: Contraindicado por suas propriedades contraceptivas provavelmente abortivas.

Contra-lndicações : Gravidez, lactação e em mulheres que desejem engravidar.

Posologia: As folhas de nem são encontradas em lojas de comida indiana e o pó e óleo em lojas de produtos naturais. Folhas frescas podem ser obtidas com plantadores e em hortos medicinais. Folhas, como alimento em sopas, saladas. Óleo de neem: 1 colher de café em suco ou água até 3 vezes ao dia, por 1 semana como agente desintoxicante; Pasta do pé topicamente em afecções cutâneas; Óleo de neem topicamente para afecções da pele; O chá das folhas pode ser usado como repelente em culturas orgânicas.

Precauções: Tradicionalmente o óleo de nim é considerado um produto relativamente seguro para uso em os adultos, porém deve ser usado criteriosamente em pessoas muito debilitadas por doença crônica ou desnutrição.

Princípios ativos : Sementes: Óleo fixo: constituído glicerídeo; Planta inteira: Óleo fixo: constituído glicerídeo; Princípios amargos: nimbidina, nimbina, nimbinina, nimbidol. e triterpenos limonóides; B-siíosterol; Deactil-azadirac-tinol; Salanina; Azadiractina; Glicósídeo fenólico.

Nim Indiano

VEJA TAMBÉM EM NOSSO SITE :

Formulação Caseira do Pó do Nim.

Repelente Natural contra Insetos e outras Pragas

O Nim traz possui benefícios para a agricultura e principalmente a pecuária. Seus derivados são usados na defesa natural de plantas e animais contra um grande número de pragas, entre elas lagartas, besouros, gafanhotos, pulgões, cochonilhas, mosca branca e outras pragas. É também indicado no controle de nematoides e doenças provocadas por fungos e bactérias.

No tratamento de animais é usado como carrapaticida, vermífugo e no controle da mosca do chifre dos bovinos.

Em função da presença nas folhas, cascas, frutos e sementes do Nim, de substâncias como Azadiractina, Nimbina e Salanina, os produtos dele derivados atuam de diversas maneiras sobre os insetos.

Têm ação inseticida, repelente, reguladora do crescimento e inibidora de apetite. Insetos tratados com o Nim ao se reproduzirem geram insetos deformados, com baixa capacidade de reprodução e alimentação, reduzindo assim a infestação da praga.

Farmacologia

O óleo amarelo e amargo tem um odor similar ao alho e contém aproximadamente 2% de princípios amargos classificados como nimbidina, nimbina, nimbinina, nimbidol, e outros triterpenos limonóides menores.

Todas as partes da árvore produzem beta-sitosterol. Azadiractina é o componente inseticida mais ativo do nim, com um rendimento de aproximadamente 5 g em 2 kg de sementes. Um glicosídeo fenólico com ação antiúlcera também foi relatado; O nimbinato de sódio e o nimbidinato possuem uma atividade espermicida fraca in vitro e o óleo imobiliza o espermatozoide humano dentro de 30 segundos de contato; O óleo e a azadiractina do nim são inseticidas e repelentes de insetos eficazes.

A a zadiractina é um dos agentes de fonte botânica, inibitórios da ecdise e antialimentar de insetos mais potentes. Por causa da estrutura química complexa da azadiractina, somente produtos naturalmente derivados são usados comercialmente.

Este composto é eficaz em concentrações tão baixas quanto 0,1 ppm e foi demonstrado ser biodegradável, não mutagênico e não tóxico a mamíferos, peixes e pássaros; A Agência de Proteção Ambiental aprovou o uso de uma formulação de nim como inseticida para o uso limitado no cultivo de plantas não utilizadas como alimento.

Outros compostos inseticidas do nim incluem o deactil-azadiractinol e a salanina; A azadiractina é um potente inibidor da replicação celular de insetos, com um valor de CE50 de 1,5x1010 M contra as células do gênero Spodoptera e 6,3x10-9 M contra as células da espécie Aedes albopictus; Os terpenoides principais da semente de nim, a nimbina e a salanina, inibiram o crescimento de células de insetos em 23% e 15%, respectivamente. Outros compostos inseticidas do nim incluem 22,23-diidronimocinol, desfurano-6alpha-hidroxiazadira-diona, meliacina, 7-alfa-senecioil-(7-deacetil)- 23-O-metilnimocinolídeo; A gedunina e o nimbolideo, ambos isolados do nim, mostraram uma atividade antimalárica in vitro; A variedade de compostos no nim (da) resulta a planta e seus extratos inúmeras atividades farmacológicas; O nim foi investigado por seu potencial como um agente contraceptivo.

O óleo foi mostrado inibir in vitro a mobilidade dos espermatozoides. Nas mulheres, a aplicação intravaginal de 1mL do óleo de nim antes da relação sexual não afetou a regularidade do ciclo e foi eficaz como contraceptivo para 10 casais durante 4 ciclos. Os problemas iniciais de aceitação do uso foram causados pelo cheiro desagradável do óleo, mas foi superados com o uso de uma fragrância de capim-limao para mascarar o odor; Quando injetados subcutâneamente em ratos, o óleo de nim causa alterações no epitélio luminal do útero e impediu a gravidez quando administrado por diversos dias pós-coito.

Este parece ser um efeito tóxico direto e não um efeito hormonal. Consequentemente, sugeriu-se que este este efeito não hormonal possa oferecer uma alternativa contraceptiva com menos efeitos colaterais do que os contraceptivos de esteróides tradicionais. O óleo de nim exerce algum efeito contraceptivo quando administrado oralmente aos ratos, mas sua eficácia por esta rota é insuficiente para que investigue este efeito mais profundamente.

A aplicação intravaginal do óleo de nim em coelhos não induziu a irritação da mucosa; Uma dose de 200 mg do óleo da semente administrada por via oral a ratos normoglicêmicos e diabéticos produziu uma redução na concentração média da glicose em até 48% após 6 horas da administração da droga. Baseado nos resultados obtidos nos ratos, a Azadirachta indica pode ser benéfica no controle da glicose no sangue de pacientes com diabete melito ou também pode ser útil em impedir ou em adiar o início da doença; O extraio aquoso da casca do nim exibe efeitos antiúlcera e anti-secretores.

Os efeitos antiúlcera podem ser causados por um glicósido fenólico que representa 10% do extraio bruto da casca. O extraio da casca é tão eficaz quanto a ranitidina, porém mais eficaz do que o omeprazol em inibir a secreção de ácido induzida pela ligação pilórica. Seu mecanismo de ação foi sugerido ser similar àquele do omeprazol (inibição dose dependente da atividade da H+/K+-ATPase in vitro).

O mecanismo gastroprotetor envolve a prevenção do dano oxidativo da mucosa gástrica, através do bloqueio da peroxidação dos lipídios e removendo os radicais de hidróxilo endógenos; Um estudo do efeito antibacteriano do óleo do nim in vitro contra 200 bactérias isoladas clinicamente resultou em uma susceptibilidade de 92%; Um extrato da semente do nim pode ser usado em programas de controle integrado de pestes de citros.

O extrato produziu uma mortalidade larval, dose dependente contra os curcuniolídeos-das-raízes Diaprepes abbreviatus (L.), que é uma praga de inseto exótica do citros da Flórida. O número de larvas que chocaram por massa de ovo foi reduzido em 27% e 68% em doses de 30 e 90 mg/L do nim, respectivamente.

Uma redução no peso entre sobreviventes larvais foi mais marcante do que a resposta da mortalidade. Após 4 semanas, as larvas tratadas com os 45 mg/L pesaram 60% menos do que aquelas de controle. O crescimento larval foi inibido por mais de 97% com uma dose de 42,9 mg/L na dieta. A inundação da terra, contendo 30 mg/L reduziu a sobrevivência e o ganho de peso das larvas de curcuniolídeo-das-raízes recém-nascidas que foram adicionadas a um vaso de citro.

Esta proteção às raízes também foi observada em uma experiência de estufa; O óleo do nim foi usado como uma pasta de dentes tradicional. O óleo provou ser anti-inflamatório, asséptico, e curativo na gengivite.

Na pasta de dentes, o extrato tem uma abrasividade baixa e uma atividade antimicrobial boa contra a flora oral. Os colutório de nim inibem a bactéria Streptococcus mutans; O óleo de nim não é mutagênico no teste de mutagenicidade de Ames; Estudos científicos: Resultados de estudos sobre o efeito pesticida do nim - Três repelentes naturais (com bases de eucalipto, nim, e o terceiro contendo diversos óleos essenciais repelentes) foram comparados com o 15% DEET em insetos capturados na Bolívia usando a técnica pouso homem.

O repelente com base de eucalipto ofereceu aproximadamente 97% de proteção por 4 horas e DEET produziu uma proteção de 85%. Entretanto, o nim não produziu uma proteção suficiente contra as picadas dos mosquitos.

Toxicologia

A DL50 do óleo é 14ml/kg em ratos e 24ml/kg em coelhos. Nos ratos, uma dose de até 80ml/kg causou estupor, estresse respiratório, depressão da atividade, diarreia, convulsões e a morte. Exame de todos os órgãos, exceto os pulmões, toi normal após uma dose aguda. As sementes do nim são venenosas em grandes quantidades.

Um composto com base de nim, o Vepacide, foi investigado por seus efeitos na desidrogenase do lactato (LDH) em vários tecidos de ratos machos e fêmeas, por um período de 90 dias.

A administração do Vepacide causou um aumento significativo na atividade da LDH no sangue e tecidos do pulmão, e diminuiu a atividade da LDH em tecidos do fígado e rins após 45 e 90 dias de tratamento diário. A necrose foi observada nos tecidos do fígado e do rim, mas não nos tecidos do pulmão, possivelmente devido à resposta adaptável ao estresse produzida pelo aumento de LDH.


Dieta  de 21 dias