Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

PARA QUE SERVE A INSULINA VEGETAL

Myrcia salicifolia.

Descrição : Planta da família das Myrtaceae, também conhecida como insulina, pedra-ume-caá.

Habitat: Amazônia, ocorrendo em outras regiões secas do Brasil

História: Esta planta tem sido usada por tribos nativas e e pela medicina tradicional brasileira por muitos anos. O Dr. G L. O Cruz, médico brasileiro e herbalista, foi quem a apelidou " insulina vegetae" em 1965. Mesmo 30 anos mais tarde, o Dr. Cruz e outros pesquisadores brasileiros e médicos registram ações e usos da pedra hume caá para diabetes da mesma maneira. É um remédio natural popular para diabetes em toda a América do Sul. Também é usado para diarreia, hipertensão, enterite, hemorragias, e úlceras da boca.

Parte utilizada: Folhas.

Princípios Ativos: Astragalina; Flavonoides; alcaloides; Glicosídeos; Ácidos orgânicos; Saponinas; Principais compostos: flavonóis, flavanonas, mirciacitrinas l e II; glucosides de acetofenona, mirciafenona 1 e 2 quercitrina, miricitrina, guaijaverina, e desmantina; beta-amirina, catechina, ácido gálico, ácido ginkgoico, mearnsitrina, mirciacitrin V, mirciafenonaB, quercitrina.

Propriedades medicinais: Adstringente, antidiarreica, hipoglicêmica.

Indicações: Diabetes; Na prevenção das neuropatias diabéticas e degeneração macular; Na hipertensão e como tônico cardíaco (equilibra e fortalece); Nas enterites, diarreia e disenterias; Adstringente nas hemorragias.

Uso pediátrico: Não há indicações.

Uso na gestação e na lactação: Contra indicada. Contraindicações: Gravidez e em hipoglicemia.

Posologia: 4g de folhas frescas ou 2g de folhas secas (1 colher de sopa para cada xícara de água) em infuso ou decocto 2 a 3 vezes ao dia., às refeições; 2 g de pó de folha em tabletes ou cápsulas às refeições. Interação medicamentosa: Pode potencializar medicamentos antidiabeticos e insulina. Possa potencializar medicamentos antihiper-tensivos

Precauções: Os diabéticos que desejam usar esta planta devem procurar um profissional gabaritado e ter acompanhamento médico. Os níveis de açúcar no sangue necessitarão ser controlados cuidadosamente e medicamentos podem necessitar adaptações. Hipertensos devem usar esta planta com cautela e ter companhamento médico.

Farmacologia: Cientistas brasileiros documentaram extratos da folha de pedra hume com atividade hipoglicêmica desde 1929. Dois estudos clínicos publicados em 1990 outra vez demonstraram sua atividade hipoglicemiante e confirmou seu uso tradicional para diabetes; Num estudo clinico duplo-cego com placebo em 1990 com pacientes normais e diabéticos, 3 g folha em pó diários demonstrou a capacidade de abaixar níveis de insulina de plasma no grupo de diabético; Num estudo em 1993,250 mg/kg de extraio da folha demonstrou a capacidade de reduzir apetite e sede, e reduzir volume de urina, excreção urinária de glucose e ureia em ratos diabéticos. O extraio também inibiu a absorção intestinal de glucose. Este estudo concluiu" o extraio aquoso de Pedra hume tem efeito benéfico no estado diabético, principalmente por melhorar parâmetros metabólicos de homeostases de glucose".


Dieta  de 21 dias