Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

PIMPINELA ESCARLATE

Anagallis arvensis.

Descrição : Planta da família das Primulaceae, também conhecida como sagittalis, pimpinela escarlate; polyandra’s weatherglass e scarlet pimpernel, ackergauchheil, hierba coral, murajes e pimpinella, jam ghani e jonk mari (hindú).

Parte utilizada: toda a planta.

Princípios Ativos: saponosídeos (ciclamina), taninos , fermentos, heterosídeos triterpênicos, óleo essencial.

Propriedades medicinais: Usado popularmente como antifúngico, antiviral, cicatrizante, sedante, expectorante, ligeiramente diurético e sudorífico.

Pimpinela

Indicações: feridas externas. Por sua toxicidade (por via interna), só se recomenda seu uso tópico em micoses cutâneas, úlceras tróficas e herpes zóster.

Contraindicações/cuidados: toda a planta é tóxica , especialmente as sementes, devido a saponosídeos com ação hemolítica, irritante das mucosas digestivas e respiratórias. Seguro só para uso externo, na dosagem indicada (sarda, chagas, ferida), mesmo assim em algumas pessoas pode produzir dermatite de contato, com intensa rubefação e inclusive vesicação.

Efeitos colaterais: o uso interno de infusões e decocções de anagalis (febre, depressão, tuberculose, fígado, epilepsia, hidropsia, reumatismo) podem provocar graves inflamações gástricas (cucurbitacinas). Em doses elevadas pode causar tremor, diarreia e forte diurese.

Modo de usar: infusão alcoólica: deixar em maceração, durante duas semanas, 20 g de flores e folhas de anagalis em meio litro de álcool a 90º, agitando-se todos os dias a garrafa. Passado esse período, filtrar o líquido, utilizando-o para fazer pinceladas sobre chagas e feridas.


Dieta  de 21 dias