Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

POEJO MEDICINAL

Mentha longifolia

Descrição : Planta da família das Lamiaceae, também conhecida como menta-silvestre. Erva rasteira que atinge de 25 a 60 centímetro de comprimento. As folhas são opostas, ovais e verde-acinzentadas. Se vista contra a luz, observamos nas folhas numerosos pontos claros, que armazenam o óleo essencial. As flores róseas ou violáceas se agrupam formando bolas que surgem a partir da metade superior dos ramos. É uma espécie de menta que se diferencia das outras por possuir odor mais forte. É cultivada ou nasce espontaneamente em regiões de solo mais úmido, necessitando receber, no minimo, 4 horas diárias de luz solar direta. A melhor reprodução se dá através dos ramos da planta-mãe, plantados, de preferência, na primavera ou outono, em solo bem adubado, profundo e úmido, espalhado-se com grande facilidade. A colheita deve ser feita durante o verão, com o corte dos galhos floridos, logo abaixo das flores.

Origem : Europa, região mediterrânea e Ásia.

História: Longa tradição de uso nas medicinas caseiras destas regiões de origem e também no Brasil, especialmente seus efeitos balsâmicos sobre as vias respiratórias. O termo pulegium, que deriva da palavra latina pulex (pulga).

Modo de conservar : Os ramos floridos, juntamente com as folhas, são secos à sombra, em local ventilado. Guardar em sacos de papel ou em vidros escuros.

Propriedades medicinais: digestiva, tônica.

Indicações: bronquite, cólica estomacal e intestinal (sedativo e gases), dor, gripe, tosse, hidropsia; estimula as funções gástricas, eupéptico, afecções da boca: feridas, candidíase, aftas; Tosses; como expectorante e protetor das mucosas; Estimulante em banhos.

Contraindicações/cuidados: CUIDADO: Pode provocar o aborto.

Aromaterapia : Aroma anti-stress, relaxante.

Poejo

Modo de Usar :

Digestivo; tônico estomacal; cólicas intestinais; gases intestinais : em 1 xícara de chá, coloque 2 colheres de sopa de folhas e flores picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá, 10 minutos antes das principais refeições.

Afecções bucais (feridas, sapinhos, aftas): coloque 1 colher de sopa de folhas picadas em 1 xícara de chá de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Desligue o fogo e abafe por 15 minutos. Coe e adicione 1 colher de chá de bicabornato de sódica. Faça bochechos, de 2 a 3 vezes ao dia.

Tosses (expectorante e protetor de mucosa): em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de sopa de flores de folhas picadas, 1 colher de sopa de quiabo bem fatiado e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, coe e adoce com um pouco de mel. Tome 1 xícara de chá , de 1 a 3 vezes ao dia. Para crianças dar somente metade da dose.

Banho estimulante : coloque 5 colheres de sopa de folhas picadas em 2 litros de água em fervura. Deixe ferver por 10 minutos. Em seguida, coe e adicione 2 colheres de sopa de sal grosso e espere dissolver. Acrescente à água morna do banho. Faça banho de imersão por 15 minutos.

Toxicologia:A pulegona possui efeitos tóxicos em altas doses. Sem toxidade nas doses recomendadas, não havendo relatos de morte por envenenamento.


Dieta  de 21 dias