Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

REISHIR

Ganoderma Lucidum

Usado há mais de 4000 anos na China, no Japão e na Coreia, este cogumelo tem sido tomado como tônico calmante pelos mais velhos. Também tem sido usado para muitos problemas de saúde ligados à idade, incluindo doença cardíaca e hepática, artrite inflamatória e câncer.

Descrição : Ganoderma lucidum (em chinês Língzh?, em japonês reishi; em coreano: yeongji) é uma espécie de cogumelo muito apreciado na Ásia, onde é utilizado como cogumelo medicinal na medicina tradicional chinesa há mais de 4 000 anos, tornando-o um dos cogumelos há mais tempo utilizados com fins medicinais.

A palavra lingzhi, em chinês, significa "erva de potência espiritual", tendo sido também descrito como o "cogumelo da imortalidade".

Devido aos seus presumíveis benefícios para a saúde e aparente ausência de efeitos colaterais, obteve uma grande reputação no Oriente.

Trata-se de um cogumelo tenro (quando fresco), suberoso e achatado, com chapéu conspícuo de cor avermelhada e em forma de rim e, dependendo da idade do espécime, com poros brancos a acastanhados na sua parte inferior.

Carece de lamelas na face inferior e liberta os seus esporos através de finos poros, sendo classificado como um políporo.

Habitat : Ganoderma lucidum, e o seu parente próximo Ganoderma tsugae, crescem nas florestas setentrionais de Tsuga canadensis. Estas duas espécies de fungos prateleira têm uma distribuição global quer em regiões tropicais quer temperadas, incluindo América do Norte e Sul, África, Europa e Ásia, crescendo como parasitas ou saprótrofos numa grande variedade de árvores. Espécies similares de Ganoderma foram encontradas crescendo na Amazônia. Na natureza, estes fungos crescem na base e nos tocos de árvores decíduas, sobretudo bordo. Apenas duas ou três dentre cada tais 10 000 árvores idosas apresentam lingzhi, pelo que a sua forma silvestre é geralmente rara. Atualmente, o lingzhi é cultivado em condições estéreis e ao ar livre quer em troncos quer em leitos de lascas de madeira.

História : Shen Nong no seu Pen Ts’ao Jing, um antigo texto medicinal chinês com 2000 anos diz que "o sabor é amargo, a sua energia neutra, não tem toxicidade. Cura a acumulação de factores patogênicos no peito.

É bom para o qi da cabeça, incluindo atividades mentais. O consumo a longo prazo deixa o corpo mais leve; nunca envelhecerás. Prolonga os anos."

O Benção Gangmu, um livro médico chinês publicado no século XVI, mostra também uma possível ligação entre a pesquisa moderna e o conhecimento popular ao descrever este cogumelo: "Afeta positivamente o Qi do coração, reparando a zona peitoral e beneficiando aqueles que têm um peito congestionado.

Tomado ao longo de um grande período de tempo mantém a agilidade do corpo, e os anos são prolongados..." As descrições deste cogumelo como símbolo de saúde estão presentes em muitos locais das residências imperiais da Cidade Proibida bem como no Palácio de Verão. A deusa chinesa da cura Guan Yin é por vezes representada segurando um cogumelo lingzhi.

Indicações : O lingzhi pode possuir atividades antitumorais, imunomoduladoras e imunoterapêuticas, tendo em conta estudos sobre polissacarídeos, terpenos e outros compostos bioativos isolados dos corpos frutíferos e micélios deste fungo (revisto por R. R. Paterson e Lindequist et al.). Descobriu-se também que inibe a agregação de plaquetas, e baixa a pressão arterial (por inibição da enzima conversora da angiotensina,), colesterol, e glicemia.

Estudos laboratoriais demonstraram efeitos antineoplásicos de extractos ou compostos isolados de fungos contra alguns tipos de cancro. Num modelo animal, relatou-se que Ganoderma preveniu a formação de metástases, com potência comparável à do lentinano dos cogumelos shiitake.

Os mecanismos pelos quais o G. lucidum pode afetar o cancro são desconhecidos e podem afetar diferentes estádios de desenvolvimento do cancro: inibição da angiogênese (formação de novos vasos sanguíneos induzida pelo tumor com o objectivo de fornecer este com nutrientes) mediada por citocinas, citotoxicidade, inibindo a migração de células cancerosas e metástases, e induzindo e aumentando a apoptose de células tumorais.

Seja como for, estão já a ser usados fármacos comerciais com extractos de G. lucidum tal como MC-S para a supressão da proliferação e migração de células cancerosas. Estudos adicionais indicam que o ácido ganodérico pode ajudar a fortalecer o fígado contra danos provocados por vírus e outros agentes tóxicos em ratos, sugerindo um benefício potencial deste composto na prevenção doenças do fígado em humanos, e esteróis obtidos de Ganoderma inibem a atividade da lanosterol 14α-demetilase na biossíntese do colesterol.

Compostos de Ganoderma inibem a atividade da 5-alfa redutase na biossíntese de di-hidrotestosterona. Além dos efeitos na fisiologia dos mamíferos, foram também reportadas atividades antibacteriana e antiviral de Ganoderma. Os vírus diretamente atingidos são: HSV-1, HSV-2, influenzavirus, estomatite vesicular. Outros micro-organismos sensíveis a Ganoderma': Aspergillus niger, Bacillus cereus, Candida albicans, e Escherichia coli.

Remédio anti-cancerígeno :A ciência está a começar a validar os usos tradicionais do reishi: provou-se que os extratos estimulam o sistema imunológico e promovem a atividade antitumores. E um remédio seguro, muito usado como tratamento suplementar no câncer, sobretudo durante a quimioterapia. Nesta e em outras doenças graves, tome só por conselho de um profissional. Pensa-se que o reishi tem uma baixa toxicidade, mas o uso prolongado (mais de três meses) pode causar efeitos secundários.

Com uma ação complexa sobre o sistema imunológico, o reishi pode ser útil sempre que a atividade imunitária esteja comprometida. Há vários problemas de saúde crônicos que podem beneficiar com o seu uso, incluindo a candidíase, a fadiga crônica, a febre glandular e o HIV O reishi tem mais probabilidades de ser eficaz quando combinado com outros tratamentos — naturais ou convencionais. Possui propriedades antialérgicas e pode ser tomado para tratar problemas alérgicos, como a asma brônquica. Também é tomado pelos alpinistas chineses para prevenir o mal da altitude.


Dieta  de 21 dias