Plantas Que Curam - O seu guia de Plantas Medicinais na Internet

SAIÃO

Kalanchoe brasiliensis Cambess

Descrição : Planta pequena, bianual, bem ramosa, de raízes fusiformes, grossas e de cor branca. No primeiro ano, surgem somente as folhas, que têm pecíolo longo, formato triangular, são penadas e divididas em segmentos de margens detadas ou crespas. No segundo ano de desenvolvimento, surgem as inúmeras flores brancas, que se reúnem em formato de guarda-chuva. O fruto-semente é um diaquênio. A raiz deve ser colhida no primeiro ano e as folhas em qualquer época, cortando-se as mais desenvolvidas.

Partes utilizadas : Folhas frescas.

Habitat: Europa Meridional; foi trazida para o Brasil no início da colonização.

História: É usada como uma panaceia pela população indígena e ribeirinha e na medicina tradicional de outras regiões brasileiras e de outros países ao longo do mundo há centenas de anos.

Plantio :

Multiplicação: mudas produzidas da folha;

Cultivo: planta brasileira, comum na região litorânea de Pernambuco a São Paulo. Adapta-se a qualquer clima. Exige solos secos e suporta solos rasos. É bastante exigente em matéria orgânica. Planta-se em canteiros ou em locais próximos a rochas para aproveitamento do terreno. Gosta de irrigação, mas não suporta excesso de umidade do solo. Existem diversas espécies de Saião e de plantas semelhantes como a fortuna e bálsamo da horta que tem as mesmas funções medicinais.

Colheita: colhem-se as folhas o ano todo.

Modo de conservar : As raízes cortadas em pedaços, as folhas e os frutos-semente devem ser utilizados frescos ou secos, em local ventilado e sem umidade. Conservar em vidros escuros ou sacos de papel, em separado.

Propriedades : Antimicrobiana, hipotensor, antiinflamatório. Empregado principalmente nas infecções pulmonares e genituinárias. Como agente externo, auxilia no tratamento de erisipelas, queimaduras, feridas, úlceras de pele e verrugas.

Foi evidenciada importante atividade antimicrobiana in vitro contra Staphylococcus aureus( também conhecida como Pseudomonas estafilococo-dourado), Pseudomonas aeruginosa (também conhecida como Pseudomonas pyocyanea), Bacillus subtilis, Candida albicans e Escherichia coli (também conhecida pela abreviatura E. coli).

Também foi constatato efeito hipotensor (hipertenção arterial) e antiinflamatório.

Indicação : Infecção pulmonar, erisipela, queimaduras, feridas, úlceras de pele, verrugas.

Princípios ativos: Alcalóides; Triterpenos; Flavonóides; Glicosídeos: Esteróides; Ácidos orgânicos; Lipídeos; ácidos araccídico, behenico, caféico, cinâmico, cumarínico, ferúlico, oxálico, palmitico, succínico, siríngico e proto-catechuico. Astragalina, 13-amirina, benzennóides, 13-sitosterol, briofolenono, briofilina, briofilina A,B e C, bufadienolídeos, briofilol, briofinol, briotoxina C, campesterol, cardenolídeos, clorosterol, clionasterol, codisterol, epigalocatequinas, friedelina, glutinol, hentriacontano, isofucosterol, kaempferol, oxalo-acetato, patuletina, peposterol, piruvirato de fosfoeno, pseudotaraxasterol, qer cetina, stigmasterol, taraxerol e triacontano.

Uso pediátrico: As mesmas indicações possíveis.

Uso na gestação e na amamentação: Contra-indicada. É estimulante uterina. Não há informações sobre seu uso na lactação.

Contra-indicações: Gravidez; Para pacientes com deficiência imunológica.

Interação medicamentosa: Pode potencializar o efeito de barbitúricos; Pode potencializar o efeito de glicosídeos cardiotônicos, digoxina e digitoxina; Pode potencializar o efeito medicamentos imunossupressores; Pode potencializar o efeito dos depressores do SNC.

Precauções: Evitar seu uso por longos períodos, por seu efeito imunossupressor.

Modo de usar:

Diurético, eliminador de cálculos renais e do inchaço das pernas; distensão dos vasos linfáticos : coloque 1 colher de sopa de folhas fatiadas em 1 xícara de chá de água em fervura. Deixe ferver por 3 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá 2 vezes ao dia.

Afecções da pele, pruridos, coceiras, irritações, dermatites e eczemas; picadas de inseto; queimaduras simples : lave bem e enxigue as folhas frescas. Em um pilão, coloque 3 colheres de sopa de folhas fatiadas. Amasse até adquirir a consistência de uma pasta. Espalhe sobre um pano ou gaze e aplique nos lacis afetados, 2 vezes ao dia. Cubra com um outro pano e deixe agir por 15 minutos.

Calmante da tosse; cicatrizante estomacal e intestinal : em um pilão, coloque 1 colher de sopa de folhas, amasse bem e adicione 1 xícara de chá de leite. Misture bem e coe. Tome 1 xícara de chá, 2 vezes ao dia, entre as principais erfeições.

Inflamação e dor de ouvido; nevralgias : Em um pilão, coloque 2 colheres de sopa de folhas fatiadas e 1 colher de sopa de glicerina. Amasse bem e coe em uma peneira. Aplique, de 2 a 3 gotas no ouvido dolorido, 2 vezes ao dia. No caso de nevralgias, aplique com um pano, no local afetado, de 2 a 3 vezes ao dia.

Saião plantas
Saião folhas Foto saião Saião - arbusto

 

Farmacologia: A planta é muito rica em princípios ativos; As folhas contêm um grupo de princípios ativos - bufadienólideos, que tem despertado grande interesse nos cientistas. São muito semelhantes em estrutura e atividade a outros dois cardiotônicos: digoxina e digitoxina que são usados no tratamento clínico da doença cardíaca congestiva e complicações.

Eles demonstraram atividade antibacteriana, antitumoral, câncer-preventivo e inseticida; A maioria dos usos tradicional tem sido confirmada por pesquisas.

O uso tradicional para Infecções - internas e externas, é comprovado. As folhas são antibacterianas, antivirais e anti-fúngicas, comprovadamente, in vitro, contra Staphylococcus, E. coli, Shigella, Bacillus e pseudomonas, inclusive uma linhagem multidroga resistente.

Um extraio aquoso de folhas de Kalanchoe em uso tópico e interno, preveniu a tratou Leishmaniose em humanos e animais; O suco das folhas tem potente ação anti-histamínica e antialérgica, justificando seu uso tradicional em afecções respiratórias superiores e tosses. Num estudo in vivo com cobaias o suco das folhas demonstrou capacidade de proteger de reações anafiláticas quimicamente induzidas e morte pelo bloqueio seletivo dos receptores de histamina do pulmão; Outro estudo in vivo confirmou o uso do extrato da folha em úlceras gástricas, protegendo c-baias de indutores de úlceras como stress, aspirina, etanol e histamina; Houve confirmação de efeito diaforético; e efeito analgésico, antiinflamatório e relaxante muscular; A ação antiinflamatória é atribuída em parte aos efeitos imuno-moduladores e imuno-supressores documentados em pesquisa científica extratos e suco da fruta suprimem reações imunológicas tanto desencadeadoras de resposta inflamatória quanto histamínica; Foram demonstrados efeitos sedativos e depressores do SNC em estudos com animais

O extrato das folhas aumenta os níveis do GABA (ácido gama-aminobutírico), neurotransmissor cerebral; Onde cresça planta, há seu uso na medicina popular - com seus principais efeitos confirmados em pesquisas com cobaias, não é difícil entender o porque; Nas afecções respiratórias superiores, problemas gastrintestinais, infecções da pele, olhos e ouvidos é considerada uma "folha milagrosa"; As pesquisas conduzidas com ratos provaram que a folha não apresenta toxidade com dosagens superiores a 5g/Kg de peso corporal, o que equivaleria a mais de 300g para um adulto com 60Kg. Entretanto há alguns relatos de intoxicação e até morte de ruminantes (gado e caprinos) após a ingestão de grande quantidade de folhas e flores, cerca de 20g/Kg de peso corporal (em torno de 16Kg para uma vaca de 5OOKg).

VEJA TAMBÉM EM NOSSO SITE :

Receita Natural do Sumo da courama-branca.

Xarope caseiro simples da courama-branca.

Xarope caseiro da courama-branca com malvarisco.

Xarope caseiro da courama-branca com ipecacuanha-branca e cebolinha-branca.

Xarope caseiro da courama-branca com mussambê

Posologia:

Adultos: Suco de 1 colher de sopa de folhas frescas, centrifugado, 2 vezes ao dia em uso interno para as principais indicações; 1 colher de sopa de folhas frescas amassadas em pilão e acrescentadas a 1 xícara de leite morno para tosses, gripes até 3 vezes ao dia.

Para úlceras estomacais e como cicatrizante do aparelho gastro-intestinal tomar 1 xícara 2 vezes ao dia, entre as principais refeições; 1 colher de sopa de folhas frescas amassadas em pilão, filtradas e acrescentadas a 1 colher de sopa de glicerina - pingar 2 a 3 gotas no ouvido dolorido 2 vezes ao dia; ou aplique em 1 compressa sobre áreas doloridas, 3 vezes ao dia; 3 a 6 colheres de sopa de folhas frescas amassadas em pilão até formar uma pasta, aplicadas topicamente para afecções da pele, durante 15 minutos, 2 vezes ao dia; 1 colher de sopa de folhas frescas em infuso em 1 xícara de água em uso interno para afecções urinárias, ingurgitamento dos vasos linfáticos e edemas dos membros inferiores;

Crianças tomam de 1/3 a 1/2 dose, de acordo com a idade.







Ajude Plantas Que Curam a difundir a saúde pela natureza, divulgando nosso site nas redes sociais.

Nosso site é um serviço oferecido de forma gratuita, mais se caso você desejar contribuir com nosso trabalho, pode fazer uma doação pelo sistema pagseguro do Universo On-line.