Relação das obras consultadas na construção desse site. Guia com algumas doenças e suas ervas respectivas para tratamento. Receitas de chás terapêuticos. Receitas de remédios naturais  produzidos com ervas. mande-nos um e-mail Compre o nosso e-book exclussivo

TROMBETEIRA

Brugmansia suaveolens

Essa planta é muito tóxica por isso não deve ser utilizada como planta medicinal, exceto com auxilio de pessoa especializda, pricipalemente por suas propriedades narcóticas.

Descrição : Planta da família das Solanaceae, também conhecida como babado, cartucheira, cartucho, copo-de-leite, saia-branca, sete-saias, trombeta-de-anjo, trombeteiro e zabumba-branca. Arbusto utilizado como planta ornamental devido às suas grandes flores em forma de trombeta.

A trombeteira é um arbusto grande e ereto, que atinge facilmente 2 ou 3 metros de altura, com folhas são grandes, ovais, alternas, caducas, verdes e pubescentes na face inferior. As flores são pêndulas, simples, perfumadas e podem ter cerca de 30 cm de comprimento. São em geral de coloração branca ou amarela, mas ocorrem variedades e híbridos de flores róseas e dobradas também.

Parte utilizada: folhas, flores, sementes.

Origem: América Central e América do Sul.

Indicações: Não deve ser utilizada por leigos, exceto com a orientação adequada, de alguns compostos da flor fabrica-se remédios para mal de Parkinson, infecções urinárias, problemas cardíacos, síndrome pré-menstrual, overdose de colinérgicos.

Modo de usar: alguns chamãs e terapeutas alternativos utilizam um cigarros das folhas secas para bronquite, esse cigarro trás efeitos narcóticos.

Propriedades medicinais: antiasmática, anticonvulsivante, cardiotônica, dilatadora, emética, narcótica.

Trombeteira

Princípios Ativos: alcaloides (daturina, atropina, atropamina, hiosciamina, escopolamina, norscopulamina, meteloidina), ácido acético, ácido aconítico, ácido ascórbico, ácido cafeico, capsidol, ácido clorogênico, ácido cítrico, ácido ferúlico, ácido fórmico, ácido fumárico, ácido glicóico, ácido láctico, ácido lignocérico, ácido linoleico, ácido málico, ácido oleico, ácido esteárico, ácido sucínico, butanol, datugenina, esculetina, etanol, flurocitabina, glucose, potássio nitrato, proteína, sitosterol, taninos .



Contraindicações/cuidados: gestantes, nutrizes, crianças. Pode ocorrer náusea, vômito, pele quente, seca e avermelhada, rubor facial, mucosas secas principalmente ocular e bucal, taquicardia, convulsão mental, mudanças repentinas de comportamento, alucinações com visão de formas e cores variadas, vertigem, delírio acompanhado de convulsões, aumento da pulsação, dilatação da pupila e embaçamento da visão, diminuição das secreções, lentidão de reflexos e retenção urinária, diminuição de reflexos e exercício motor da medula, paralisia dos músculos estriados e excitação os músculos lisos. A ingestão sem a supervisão de um especialista pode levar à morte. Do socorro deve constar: o esvaziamento gástrico desde que seja feito em tempo útil. A lavagem gástrica deve ser enérgica e precoce. A hipertermia deve ser tratada com medidas físicas (bolsas de gelo, compressas úmidas, etc.) pois em geral são ineficazes os analgésicos. Diazepínicos podem ser utilizados para controle da agitação psicomotora muito intensa. Correção dos distúrbios hidreletrolíticos e metabólicos e assistência respiratória são procedimentos importantes. Administrar fisostigma para pacientes graves, pois os efeitos colaterais são significativos.

Dica de Cultivo : Necessita de sol e solo arenoso e enriquecido com matéria orgânica, regado em intervalos regulares.

A adubação deve ser feita antes da floração e a poda deve ser realizadas após a floração.

Prefere o calor e a umidade, e habita naturalemnte a beira de riachos.