Plantas Que Curam - O seu guia de Plantas Medicinais na Internet

TUIA

Thuja occidentalis

A tuia é uma árvore rústica, semelhante ao cedro, é uma planta ornamental por natureza, mais possui propriedades medicinais, entre elas o tratamento de verrugas.

Descrição botânica

Planta da família das Cupressaceae, também conhecida como pinheiro de cemitério, árvore-da-vida, cedrinho, ciprestes, tuia-americana.

Trata-se de árvore frondosa, de ramos folhosos mais ou menos horizontais e com copa no formato de pirâmide. Seu crescimento é lento e pode atingir até 20 metros de altura.

As folhas, tipicamente escamadas, são sempre verdes ou raiadas de amarelo, possuindo uma glândula saliente. Produz cones masculinos e femininos no mesmo pé, de formato levemente globoso, que se abrem quando maduros, apresentando várias sementes.

Os ameríndios usavam a tuia para problemas como dores de cabeça, febre e reumatismo e queimavam-na para "limpar" o ar. A tuia é sobretudo usada em verrugas, embora seja útil noutros problemas infecciosos, especialmente na sinusite, abcessos nos dentes, bronquite, cistite e infecções fúngicas.

Parte utilizada: ramos.

Origem e Habitat: Nativa da América do Norte - Canadá, EE.U.U. (especialmente o estado da Virgínia) encontra-se no Brasil como planta ornamental exótica, está bem adaptada, em locais mais altos do sul e sudeste brasileiro.

O cultivo da tuia

É extremamente rústica, não requerendo cuidados especiais, adaptando-se a diferentes tipos de solo, zonas de invernos rigorosos e prolongados.

O plantio é feito por sementes. A colheita deve ser feita no final do inverno ou do outono. O seu aroma é canforáceo.

Modo de conservar : Os ramos novos, os cones e as cascas dos ramos devem ser secos ao sol, em local ventilado e sem umidade. Armazenar em sacos de papel ou de pano, em separado

Propriedades Medicinais da Tuia

Princípios Ativos: alfa-pineno, borneol, fenchona, flavanóides (glicosídeos de kenferol e quercetol), óleo essencial (com 60% de tuyona), taninos.

Propriedades : Adstringente, anti-helmíntica, anti-hemorroidal, anti-reumática, antiasmática, antiverrugosa, emenagoga, expectorante.

Para que serve a tuia :

Essa árvore é mais usada como ornamental que medicinalmente.

Verrugas e uso tópico : Nenhum remédio é infalível na eliminação de verrugas, mas a tuia tem mais probabilidades de ser bem sucedida do que muitos outros. Aplique a tintura pura na verruga duas vezes por dia. Continue até 10 dias. Porém a tintura não elimina os pólipos cutâneos, que são pequenas vesículas benignas

Porêm é indiciada também nos caos de  hemorróidas,  transtornos menstruais, catarros bronquiais, enfisema, asma, vermes intestinais, doenças de pele, como psoríase, reumatismo, hiperplasia benigna da prosta.

Infecções : O mais comum é tomar a tuia conjugada com outros antimicrobianos e imunoestimulantes, como a equinácea (Echinacea spp.) e o tomilho (Tfymus vulgaris). A forte ação anti-séptica é mais evidente em infecções virais e bacterianas nas membranas mucosas, sobretudo nos ouvidos, nariz, garganta e aparelho urinário. Internamente, tem uma ação forte e tóxica, pelo que convém consultar um profissional.

Cuidados a tomar

Superdosagem : Os sintomas de envenamento são os descritos nos efeitos colaterais; Deverá ser feito: o imediato esvaziamento gástrico, lavagem com solução de permanganato de potássio ou sulfato de sódio, uso de carvão ativado, e profilaxia contra choque; Os espasmos são tratados com diazepan, as cólicas com atropina e também a administração de eletrólitos; Eventuais crises de acidose deverão ser tratadas com infusão de bicarbonato; O monitoramento da função renal é essencial; Pode haver necessidade de assistência respiratória.

Toxicologia: O efeito tóxico é devido à presença da tuiona. As doses devem ser estritamente respeitadas. As preparações alopáticas não contêm tuiona, neste caso a dose limite é 1,25mg/kg de peso; Desde 1980 só há relatos de envenenamento pelo uso da planta fresca. Nas doses terapêuticas de medicação a tuiona presente está abaixo do limite tóxico.

A tuyona é um neurotóxico potente, em doses elevadas pode causar: aborto, vômito, diarréia, hemorragias, crises epileptiformes e tetaniformes, transtornos psíquicos e sensoriais, hipotensão.

Interação medicamentosa: Pode causar crises em usuários de anticonvulsivantes. Não deve ser usada concomitantemente com Artemísia, Sálvia, Tanchagem, Tuya oriental, Musgos pois estes contêm tuiona, o que ofereceria risco de intoxicação. Não deve ser usado com álcool por causar efeitos somatórios ao SNC.

Modo de Usar

Afecções febris, fripes e resfriados; tosses; ruquidão : em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de chá de ramos novos, bem picados e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Ainda morno, tome 1 xícara de chá, de 1 a 3 vezes ao dia.

Diurético, diminui a causticidade da urina; estimulante da elasticidade da bexiga; prostatite; cistites : coloque 1 colher de chá de ramos novos bem picados em 1 xícara de chá de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos, coe e espere esfriar. Tome 1 xícara de chá, de 1 a 2 vezes ao dia, sendo uma de manhã e outra até às 17:00 horas.

Verrugas; calos; olho-de-peixe : coloque 2 colheres de sopa de ramos novos bem picados em 1 xícara de chá de ácool a 70%. Deixe em maceração por 8 dias. Coe, adicione 1 colher de chá d eglicerina e misture. Deixe amolecer bem o local afetado com água quente, enxigue e esfregue com uma toalha seca. Em seguida, aplique no local afetado.

Hemerróidas; fissura anal : coloque 3 cones ou 2 colheres de sopa de casca do caule e 1 colher de sopa de folhas fatiadas da carrapateira em 1/2 litros de água em fervura desligue o fogo, espere amornar e coe. Faça banho de assento, ainda morno, massageando suavemente a porção anal.

Informações ao profissional de saúde

tuia - imagem
tuia - foto tuia tuia

 

Farmacologia: As glicoproteínas e polissacarídeos são os agentes que lhe conferem atividade antiviral e imunoesíimulante. Logo, seu uso tópico para inibir o crescimento de vegetações virais da pele é totalmente plausível; Também foi demonstrado um aumento de células T devido aos polissacarídeos e também um aumento na produção de interleucina-2; A Tuya também exerce ação estimulante sobre o útero; Devido à presença da tuiona que é neurotoxína, o óleo essencial pode causar espasmos e, em altas doses, levar a convulsões clônico-tôniças, distúrbios metabólicos por degeneração gordurosa do fígado e danos ao parènquima renal.

Posologia: Adultos: 5 a 20ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluídos em água ou diretamente sobre verrugas e condilomas; 1,5g de erva seca ou 3g de planta verde (1 colher de chá para cada xícara de água) em infuso ou decocto, até 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12hs; Extrato fluido: 1 a 4ml diários; Pó: diretamente sobre a ferida; Banhos e compressas - decocto concentrado; Crianças: Tomam de 1/6 até 1/2 da dose.

MEDICAMENTOS QUE POSSUEM A TUIA EM SUA COMPOSIÇÃO ;

Pomada de Thuya D1

 




Ajude Plantas Que Curam a difundir a saúde pela natureza, divulgando nosso site nas redes sociais.

Nosso site é um serviço oferecido de forma gratuita, mais se caso você desejar contribuir com nosso trabalho, pode fazer uma doação pelo sistema pagseguro do Universo On-line.